A escolha do governo brasileiro pelo padrão de transmissão digital terrestre baseado no ISDB-T era considerado uma decisão solitária no continente americano. No entanto, o governo argentino deu indícios nesta semana de que poderá adotar o mesmo padrão.

Até poucas semanas atrás, as autoridades argentinas eram favoráveis a escolha do padrão europeu (DVB). A escolha por um padrão digital na Argentina tem se mostrado frágil e instável. Em 1998, o Secretário de Comunicações, Germán Kammerath, elegeu o padrão americano ATSC através da Resolução Oficial 2357.

Dois anos depois, Henoch Aguiar anulou a decisão e planejou a escolha de uma norma em conjunto com o Brasil, mas sem avanços. Em 2006 uma nova comissão foi formada e então as relações com a Espanha se firmaram e o padrão DVB se tornou o favorito. Porém, o clima com o país europeu esfriou e o padrão brasileiro voltou a se tornar a principal escolha.