O programa "The Oprah Winfrey Show" é exibido de segunda a sexta, às 20h, pelo GNT. Nesta semana, Oprah conversa com a sexóloga Dra. Laura Berman para esclarecer duas mães de um jovem casal, de 14 anos, que planeja fazer sexo. Os programas são reprisados de segunda a sexta, às 7h30 e às 15h. Confira abaixo os destaques para esta semana.

Segunda-feira

Para ajudar as mulheres que, atribuladas com a carreira e os deveres domésticos, esqueceram de manter a sensualidade, Oprah reúne um time de profissionais de sua revista “O, The Oprah Magazine”. Em um artigo publicado na revista, eles transformaram mães que haviam perdido seu lado sexy em mulheres belas e sensuais.

Terça-feira

Nesse programa, mulheres de cinco continentes revelam o que é considerado beleza em seus países. A correspondente do telejornal da NBC, Nightly News, Mara Schiavocampo viajou pelo mundo apenas com seu laptop, câmera e tripé. Ela registrou várias histórias de beleza.

Quarta-feira

A tecnologia usada no dia-a-dia é a mesma que os criminosos possuem para cometer abuso sexual. Nesse programa, as famílias de crianças que sofreram nas mãos de predadores da Internet contam suas histórias na esperança de que os pais ensinem essa lição a seus próprios filhos. Umas das entrevistadas é Danielle, mãe de Kristin, de 14 anos. Ela conta que sua filha era uma adolescente saudável e feliz até ter caído nas garras de um desses criminosos. Kristin se envolveu com um homem 13 anos mais velho do que ela.

Quinta-feira

A sexóloga Dra. Laura Berman está de volta ao “The Oprah Winfrey Show” para ajudar os pais de adolescentes que ainda relutam em conversar sobre sexo com seus filhos. Oprah convida duas famílias que estão nessa situação. As mães de Courtney e Pierce, ambos com 14 anos, estão preocupadas porque seus filhos namoram há três meses e já pensam em levar o relacionamento para o nível sexual.

Sexta-feira

Em 1994, a patinadora Nancy Kerrigan foi atacada por um homem enquanto treinava para o US Figure Skating Championships, um campeonato de patinação no gelo. O homem atingiu o joelho de Nancy com uma barra de metal, deixando-a ferida e incapacitada de competir. Com Nancy fora da disputa, sua maior rival, Tonya Harding, venceu o campeonato. Quando as duas atletas se preparavam para disputar os Jogos Olímpicos do mesmo ano, rumores diziam que Tonya estava envolvida no ataque. A polícia prendeu o ex-marido de Tonya, Jeff Gillooly, acusado pela agressão. Numa entrevista coletiva, ela disse que não tinha nenhum conhecimento prévio do plano, mas reconheceu que era responsável por não ter falado logo que soube. Apesar de sua confissão, Tonya recebeu permissão para competir nas Olimpíadas, transformando a patinação no gelo para mulheres no maior evento dos Jogos. Nancy levou para casa a medalha de prata, enquanto a adversária terminou num decepcionante oitavo lugar. Um mês depois de voltar dos Jogos, Tonya foi condenada por conspiração e por esconder evidências do crime. Quinze anos depois do escândalo, a acusada conversa com Oprah sobre o que realmente aconteceu.