A operadora de multisserviços NET lançou oficialmente no início do mês de novembro dois novos canais HBO em HDTV para todas as praças com disponibilidade do serviço de alta definição. Os assinantes passam a contar agora também com a programação dos canais HBO|HD e HBO Simulcast.

O canal HBO|HD (572) traz uma programação diferenciada e totalmente em alta definição, com áudio no formato 5.1 e formato de tela real em 16:9. Já o canal HBO Simulcast (571) exibe a mesma programação do canal HBO (71), porém com exibição dos principais filmes e séries em alta definição, especialmente no prime-time (das 18h00 à meia-noite).

Os dois novos canais estarão disponíveis sem custo adicional para os assinantes do pacote HBO Max Digital (standard definition) e dos serviços de alta definição, nas praças onde o serviço estiver disponível.

"Nosso foco está direcionado para qualidade, com canais HD de verdade. Os novos canais da HBO HD chegam na NET sem representar aumento de mensalidade dos nossos produtos", aponta Márcio Carvalho, diretor de produtos e serviços da NET.

Disputa de Titãs

A lançamento dos canais reforça a disputa entre SKY e NET pelo mercado de alta definição. Além disto, a NET provoca a concorrente SKY em dois momentos principais: o primeiro ao citar que seu foco está direcionado em canais HD de verdade, e no segundo momento ao informar que os canais chegam sem aumento de mensalidade.

É notório e sabido por todos os assinantes do serviço de alta definição da SKY que a operadora carrega em seu line-up dois canais que não apresentam a mínima qualidade de um canal HD e mesmo assim são vendidos como tal. Trata-se dos canais TNT HD e Space HD, que apresentam programação simultânea com upscaling e imagem deformada.

A segunda provocação sobre o fato de incluir os novos canais sem custo adicional faz lembrar caso recente em que os assinantes do SKY HDTV foram obrigados a migrar para pacotes mais caros para ter acesso ao conteúdo do canal Telecine HD, mesmo aqueles já possuem os cinco canais da Rede Telecine (standard definition).

A disputa de mercado entre as operadoras está longe de terminar e a tendência (e expectativa) é que o consumidor final tenha acesso a conteúdo de maior qualidade com valores menores.