O programa "The Oprah Winfrey Show" é exibido de segunda a sexta, às 20h, pelo GNT. Toda semana, Oprah debate assuntos polêmicos e recebe convidados especiais. Os programas são reprisados de segunda a sexta, às 7h30 e às 15h. Confira abaixo os destaques para esta semana.

Segunda-feira

Depois de 140 dias em uma prisão na Coreia do Norte, a repórter Laura Ling fala pela primeira vez sobre o que viveu. Laura Ling é irmã da correspondente do programa da Oprah, Lisa Ling. Em março do ano passado, Laura e sua colega de trabalho Euna Lee foram presas enquanto atravessavam a fronteira entre Coreia do Norte e China. Elas faziam uma reportagem sobre os milhares de coreanos que atravessavam aquela fronteira todos os anos, fugindo do regime comunista de seu país. As repórteres voltavam da travessia quando foram violentamente atacadas pelos soldados e levadas para prisão. O acontecimento chocou o mundo e deixou a relação entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte ainda mais estremecida. Com intervenção do ex-presidente Bill Clinton, elas foram libertadas quase quatro meses depois de serem presas. Ao lado da irmã, Laura lança o livro “Somewhere Inside”, em que relata as suas memórias sobre o acontecido. Na primeira entrevista que dão juntas, Lisa e Laura falam sobre os 140 dias em que Laura passou no cativeiro.

Terça-feira

No programa desta terça, quatro mulheres americanas revelam a vida infernal que tiveram como esposas do líder religioso Tony Alamo. Jeanne, Amy, Nikki e Desiree decidiram sair do anonimato e contar essa história pela primeira vez. À primeira vista, elas parecem não ter nada em comum. Jeanne, de 31 anos, é recepcionista num hotel; Amy, de 26 anos, é mãe em tempo integral; Desiree, de 18 anos, sonha em se tornar uma agente do FBI e Nikki, de 26 anos, é bartender. Apesar das diferenças, elas se uniram por causa dos horrores que viveram quando crianças. Em 1980, Alamo, que declarava ser profeta de Deus, tinha milhares de devotos seguidores nos Estados Unidos, incluindo os pais dessas meninas. No auge da popularidade do culto de Alamo, muitos seguidores viviam em complexos residenciais. Tony Alamo tinha dezenas de mulheres que ele chamava de “esposas espirituais”.

Quarta-feira

Mary J. Blige, a rainha do hip-hop soul é a estrela desse show da Oprah. Nove vezes ganhadora do Grammy, ele superou uma infância dura, abuso e vício para se tornar uma estrela. Mesmo com todo sucesso e fama, Mary nunca esqueceu o conjunto habitacional Yonkers, em Nova York, onde cresceu. Com uma equipe do show da Oprah, a cantora retorna ao seu local de infância, onde confrontou muitas memórias dolorosas. Depois da viagem emocional, Mary volta ao estúdio para conversar com Oprah sobre a experiência. Ela diz que, por não ter esquecido de onde veio, conseguiu a maior alegria de sua vida: a habilidade de ajudar quem precisa.Em 2009, Mary abriu as portas do “Mary J. Blige Center for Women”, um centro de estudos para mulheres que sofrem maus tratos em Yonkers. Depois de mostrar um pouco do trabalho que faz para ajudar outras mulheres, a cantora falou sobre seus objetivos para a próxima década e cantou uma canção do seu álbum “Stronger With Each Tear”.

Quinta-feira

Nesse show, Oprah envia Ali Wentworth para conferir as receitas da famosa competição culinária Pillsbury Bake-Off. Foi a 44ª edição da batalha entre grandes e desconhecidos cozinheiros, cujo vencedor recebe um prêmio no valor de um milhão de dólares. Depois de Ali mostrar o que acontece nos bastidores da competição, Oprah recebe algumas das finalistas no seu programa, inclusive a vencedora da última batalha, Sue Comptom. Todas revelam seus segredos culinários e preparam as receitas que renderam a elas prêmios em diversas categorias.

Sexta-feira

Oprah leva sua campanha contra o uso do celular ao volante de um carro a todos os Estados Unidos. Ela criou um dia contra essa prática irresponsável que tira a vida de milhões de pessoas no mundo inteiro. O Dia Nacional Contra o uso do celular ao Volante mobilizou todos os amigos e assistentes da apresentadora. Além dela, Ali Wentworth, Lisa Ling, Nate Berkus entre outros correspondentes do Show da Oprah viajaram para algumas das principais cidades do país. Los Angeles, Boston, Atlanta e Detroit foram tomadas por multidões nas ruas que aderiram à campanha de conscientização e compromisso de não mais dirigir enquanto estiver falando ao telefone. Oprah também conversa com parentes de várias vítimas de acidentes causados por motoristas que estavam distraídos com o celular.