O SBT estreia nesta segunda-feira, dia 21 de maio, a partir das 20h30, uma nova versão da novela Carrossel que apresentou grande sucesso junto ao público em sua primeira exibição (em versão mexicana). Confira abaixo uma entrevista com Iris Abravanel, autora da adaptação:

De quem partiu a ideia de fazer o remake da novela Carrossel? Por quê?

A ideia partiu de minha filha Daniela Beyruti, diretora artística do SBT. Ela guardava na lembrança os bons momentos em que nossa família reunida assistia Carrossel. Partiu dela o desejo de propiciar este tempo de união entre os pais, que naquela época eram crianças, com seus filhos.

Você acompanhou a exibição da primeira versão da novela? As suas filhas assistiram, como foi a reação da família?

Acompanhei Carrossel com minhas filhas. Foram momentos preciosos em que tive várias oportunidades de reforçar valores positivos de caráter para que elas pudessem conviver pacificamente com seus semelhantes.

A professora Helena é a personagem que move a trama? Explique?

A trama é movida, principalmente, pelos conflitos entre os personagens infantis, embora não resta dúvida de que a professora Helena impactou toda uma geração com sua doçura e beleza. Ela é a professora que todos gostariam de ter. Hoje, ela é o protótipo da princesa moderna, como Kate Middleton, por exemplo.

Quais temas atuais a senhora pretende abordar em Carrossel?

O universo tecnológico das crianças hoje é infinitamente maior do que há 20 anos. Hoje elas usam celular e toda parafernália eletrônica. As aulas estão mais interativas do que na antiga Escola Mundial. Abordamos também o fantástico mundo da imaginação infantil. Está provado que a fantasia é saudável para a criança, e que através dela, são resolvidos vários problemas emocionais e de superação.

Na primeira versão, Maria Joaquina humilhava Cirilo de uma forma muito cruel. Na sua adaptação o conflito entre os dois será mantido? De que forma?

Toda discriminação é cruel e, infelizmente, existe. Não dá para sermos hipócritas e ignorarmos o que está acontecendo nas escolas. Apesar de termos suavizado o conflito entre eles, não poderíamos deixar de abordar esse tema.

Mimada e arrogante, Maria Joaquina é uma das personagens que tem mais dificuldade em se relacionar com as diferenças. Quais as lições que você transmitiria a Maria Joaquina caso fosse mãe dela?

A mesma que transmiti às minhas filhas enquanto assistíamos Carrossel. O respeito e amor ao próximo devem ser cultivados desde cedo e em casa. Quando superamos nossas diferenças podemos viver com mais justiça, gerando paz e alegria de viver. Quando conseguimos domar a fera da maldade que existe dentro de nós, aumentamos nossa autoestima, nos tornamos seres humanos mais seguros, realizados e confiantes.

Em Carrossel algumas personagens sofriam o bullying de uma forma muito severa. Você abordará o bullying com a mesma medida da versão original?

O bullying é um veneno que está destruindo nossas crianças e aterrorizando professores. Mesmo amenizado, é impossível nos desviarmos desse assunto, tão sinistro em nossas escolas. Lembro-me que, certa noite, minha filha Renata acordou chorando. Havia sonhado que Cirilo estava chorando por conta da humilhação sofrida com o desprezo da amada, Maria Joaquina. Ela estava realmente indignada. Queremos gerar esta mesma indignação nos nossos telespectadores mirins, para que se conscientizem das consequências danosas que o bullying pode provocar.

A senhora acredita que Carrossel será uma novela polêmica por conta do bullying?

Todo assunto polêmico gera discussões, mas também, possíveis soluções. Certamente, as famílias poderão dialogar a respeito desse câncer que está destruindo nossas crianças. Sempre é bom lembrarmos que cultivar o amor ao próximo é fundamental para se viver em harmonia.

Carrossel foi produzida em 1989 e de lá pra cá o comportamento das crianças mudou, as brincadeiras, os jogos, os interesses, etc. De que forma e que recursos usou para adaptar a novela para os nossos dias?

Nós criamos diálogos mais dinâmicos e, claro, ambientamos a trama para os nossos dias. Realizamos pesquisas em algumas escolas para nos inteirarmos sobre o comportamento das crianças e também para perceber como elas utilizam os espaços escolares. Durante as pesquisas, percebemos que as crianças inseriram em suas brincadeiras os brinquedos eletrônicos, como vídeo games portáteis, elas também usam celulares e ouvem músicas no Ipod. Mas elas continuam brincando de pega-pega, e também praticam esportes. Em Carrossel, utilizamos todos esses recursos do universo infantil atual: tem o garoto que gosta de vídeo game, tem a menina que ouve música no Ipod,mas também brincam de pula-corda e pega-pega.

Você fez algum tipo de workshop em escolas para observar o comportamento das crianças? Como foi a experiência?

Sim, pedi aos meus colaboradores que fizessem pesquisas e visitas nas escolas. Tive, também, a oportunidade de utilizar minha experiência como professora do ensino fundamental.

Sua versão de Carrossel será um produto de entretenimento para adultos e jovens, além das crianças. Você criou novas histórias e tramas para envolver esse público? Pode citar algumas?

Sim. Carrossel será uma novela para todas as faixas etárias, principalmente, por fazer parte da infância dos adultos de hoje. Todos que assistiram querem reviver essa história com seus filhos. A narrativa está bastante fiel à original. Porém, colocamos mais romance e rivalidade no núcleo de professores, sempre de uma forma divertida. Nas fantasias das crianças, muitas vezes, trouxemos os contos de fadas para a novela.

Tem algo que a senhora discordava da novela original que limou da sua adaptação?

Foram evitados repetição de conflitos e diálogos pesados, além de racismo exagerado.

Carrossel é a sua quarta novela, já reconhece alguma marca ou estilo em sua maneira de escrever?

Uma das características é sempre levar o telespectador a refletir sobre os conflitos do cotidiano gerando mais esperança, otimismo, e alegria de viver. Podemos prever nosso futuro com boas decisões no presente e é isso que procuro passar, também para meus colaboradores que me acompanham, desde a primeira novela.

Quais são as expectativas quanto à reação dos telespectadores ao assistir Carrossel?

Nossa maior expectativa é que toda família volte a se reunir para desfrutar de bons e divertidos momentos juntos.