A série que traz à tona crimes passionais ocorridos no Brasil desde a década de 90, que receberam grande cobertura da imprensa e provocaram a mobilização da opinião pública, exibe mais um documentário inédito. Coprodução do A&E com a Prodigo Films, Até que a Morte nos Separe apresenta o episódio inédito Penalidade Máxima, a ser exibido no dia 19 de junho, terça-feira, às 23h. O programa apresenta o caso do goleiro Bruno Fernandes, acusado de matar a amante, Eliza Samúdio, no auge de sua carreira.

Confira a sinopse do episódio Penalidade Máxima:

BRUNO FERNANDES E ELIZA SAMUDIO – Minas Gerais, 2010

Crime de grande repercussão que chocou o país, pela crueldade e por envolver uma celebridade do esporte, e que continua cheio de perguntas ainda sem respostas. Elisa Samúdio viajou com seu bebê para conversar com o ex-amante Bruno – estrela do Flamengo e cotado para defender a seleção brasileira em 2014 – sobre o reconhecimento de paternidade da criança. Desde então, ela nunca mais foi encontrada, e seu desaparecimento se tornou objeto de uma trama cheia de mistério, vingança e morte. A polícia recebeu uma denúncia anônima sobre uma série de agressões sofridas por Elisa num sítio em Contagem, MG.

Segundo depoimento de um sobrinho menor de idade de Bruno, ela teria sido sequestrada, estrangulada e seu corpo teria sido retalhado e devorado por cães Rotweiller no sítio de Marcos Augusto dos Santos, conhecido como Bola, amigo do goleiro e ex-policial. Eliza já havia sido agredida e ameaçada por Bruno anteriormente, que teria exigido que fizesse um aborto. Até hoje não há vestígio do corpo de Eliza, mas o bebê foi localizado com um casal de amigos da mulher de Bruno, em Contagem.

De acordo com as declarações, a polícia acredita que Bruno também tenha sido ajudado por seu melhor amigo e assistente pessoal Luiz Henrique Romão, o “Macarrão”. Bruno, Macarrão e Bola estão presos na penitenciária de Contagem, em Minas Gerais, onde esperam pelo final das investigações. Atualmente, Bruno tenta a libertação por meio do STJ (Supremo Tribunal de Justiça) e do STF (Supremo Tribunal Federal).

Principais depoimentos [ainda em produção]: Alessandra Wilke, delegada que participou do início das investigações do caso; Juca Kfouri, o mais renomado jornalista esportivo do país; Cláudio Delladone, atual advogado de Bruno Fernandes; Edson Moreira, delegado responsável pelo caso; José Arteiro, advogado de Sonia Fátima Moura (imagem), mãe de Eliza.