Os destaques da música erudita para este final de semana, na TV Cultura, ficam por conta de um documentário e um concerto, no programa Clássicos, que vai ao ar às 16h.

No sábado (16/6), o filme Jascha Heifetz, o violinista de Deus retrata o violinista lituano Jascha Heifetz (1901-1987). Um artista para quem somente a perfeição interessava. Um músico prodígio que passou a definir os padrões de quase todo o século XX para a interpretação do violino. Por meio de filmes caseiros e fotos pessoais da família tiradas entre 1093 e 1987, o diretor Peter Rosen mostra o artista que tocou violino por 83 dos seus 86 anos de vida. O prestigiado concertista ficou tão conhecido na cultura popular, que seu nome se tornou sinônimo de grandeza para todos. De Jack Benny aos Muppets e Woody Allen.

Filmado em Vilna (Lituânia), São Petersburgo (Rússia) e no estúdio de Heifetz, em Los Angeles, o documentário leva a assinatura do diretor Peter Rosen.

No domingo (17/6), a Sinfônica de Heliópolis toca Mozart e Mendelssohn. Uma gravação exclusiva da TV Cultura realizada na Sala São Paulo, em abril deste ano. Trata-se de um concerto com o maestro e violinista lituano Julian Rachlin, que rege os músicos de Heliópolis num repertório que reúne a Sinfonia Nº 35 em Ré Maior, K. 385 “Haffner” e a Sinfonia Nº 4, Opus 90 em Lá Maior “Italiana”, de Felix Mendelssohn-Bartholdy.

Um dos mais respeitados violinistas da atualidade, Julian Rachlin possui interpretações marcantes e técnica refinada. Nascido na Lituânia e radicado na Áustria, foi aluno de Pinchas Zukerman e se tornou o mais jovem solista a se apresentar ao lado da Filarmônica de Viena, fazendo sua estreia sob regência de Riccardo Muti. Como regente, Rachlin tem realizado trabalhos com a Camerata Salzburg, o grupo Moscou Virtuosi e a Filarmônica de Câmara de Bremen. Por sua atuação filantrópica, Rachlin foi nomeado embaixador mundial da Unicef.