Neste domingo, dia 17, o ‘Globo Rural’ apresenta uma reportagem de Helen Martins sobre as terras pretas de índio na Amazônia, que são manchas de solo extremamente férteis, ricas em matéria orgânica e sem elementos poluidores, como metal e plástico. O ‘Globo Rural’ vai ao ar aos domingos, logo após ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’, e de segunda a sexta, após o ‘Telecurso’.

Pesquisas arqueológicas buscam descobrir qual é a composição dessas manchas de terra preta de índio, onde elas podem ser encontradas e quais as suas relações com civilizações antigas. Helen mostra o trabalho de agrônomos do Instituto Nacional de Pesquisa do Amazonas, que tentam replicar o processo de criação da terra preta de índio em laboratório.

Apesar das facilidades que o cultivo nesse solo traz para os agricultores, existem divergências entre os arqueólogos quanto a sua utilização por que, normalmente, cada mancha é um sítio arqueológico em potencial. A repórter mostra um caso proibido de pessoa que vende terra preta ilegalmente, para servir de adubo.

Também neste domingo, o lançamento de uma variedade de capim conhecida como Capim Tupi, desenvolvida pelo EMBRAPA – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Brasileira. A nova variedade é própria para o plantio de pastagens em terrenos encharcados e pobres.