Durante o verão de 2009 quatro alpinistas afegãos tentaram fazer o que nenhum de seus compatriotas sonhou ser possível: chegar ao cume do Monte Noshaq, o mais alto do Afeganistão, com 7.492m. O documentário do Globosat HDAfghans to the Top” mostra a jornada desses alpinistas, que procuram deixar uma mensagem de esperança e paz para o Afeganistão e contribuir para o renascimento do turismo na província de Wakhan. O documentário vai ao ar quinta-feira, dia 21, às 20h30, dentro da faixa Natureza do canal, dedicado a séries e documentários internacionais sobre o tema.

Malang, Afiat Khanis, Gurg Ali e Amruddin encaram o desafio de escalar a mítica Noshaq, local esquecido devido a guerra. O Noshaq foi muito popular entre os alpinistas de todo o mundo nas décadas de 1960 e 1970 e a primeira expedição a chegar ao pico foi japonesa, em 1960. Foi abandonado em 1979 quando o Exército Vermelho invadiu o Afeganistão e deu início a um conflito que duraria cerca de 25 anos. Esquecida, Noshaq perdeu todas as trilhas demarcadas anteriormente e que praticamente levavam até o topo. Após a invasão soviética, nenhuma outra expedição foi ao local até 2003, e embora muitos alpinistas a tenham escalado, nenhum afegão havia conseguido essa façanha.

Como um legado da guerra, Noshaq ficou isolada por um campo minado de mais de três quilômetros bloqueando o caminho até a montanha, já que havia o receio de uma invasão da área pelos Talibãs. Para chegar até lá a primeira expedição pós-guerra, em 2003, teve que passar por esse cinturão explosivo para criar novas trilhas e com o apoio de um comandante militar que ajudou a colocar essas minas. É por essa nova trilha que segue a equipe de “Afghans to the Top”, mas algumas minas ainda permanecem no local.