A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) apresenta, durante Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, palestras abertas ao público sobre a história da Internet no Brasil, nos dias 13, 15 e 22/6. As apresentações ocorrerão no período da tarde, no Armazém 4 do Pier Mauá.

O objetivo do painel é apresentar um breve histórico da Internet no país, a importância da Eco 92 nesse contexto e seus avanços desde então. A organização irá mostrar como, em duas décadas de existência, a rede acadêmica incrementou as ações em educação e as pesquisas sobre desenvolvimento sustentável.

Há 20 anos, no Rio de Janeiro, a ECO-92 ajudou a viabilizar o projeto da internet brasileira. Até meados daquele ano, apenas algumas instituições acadêmicas (USP, UFRGS, LNCC, PUC-Rio) tinham acesso à Internet. Contudo, todas eram de baixa velocidade e serviam, apenas, ao uso experimental e troca de mensagens (e-mail).

Em junho, quando a ECO-92 foi aberta, inaugurou-se a utilização da Internet por um público não-acadêmico através dos serviços da Rede Rio e do Alternex (serviço de comunicação montado pelo Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas – IBASE), que utilizavam um canal de transmissão de 64 Kb/s. Essa infraestrutura de acesso à Internet serviu como uma importante alternativa aos milhares de jornalistas internacionais que cobriam o evento e precisavam se comunicar com suas redações de origem.

Em paralelo, a RNP já espalhava pelo país os primeiros Pontos de Presença de sua espinha dorsal (backbone), que, em seguida, foi ampliado para outros estados fora do eixo RJ-SP. Desde então, a Internet e a RNP desenvolveram-se, dando suporte no Brasil às atividades de educação ambiental, pesquisas sobre biodiversidade, clima e tempo, entre outras.