E lá se vão quase duas décadas desde a morte do homem que revolucionou o rock na década de 90 – o precursor da onda grunge, vocalista e guitarrista do Nirvana, Kurt Cobain (20/2/1967 a 5/4/1994). O caso da morte prematura todo mundo conhece – aos 27 anos de idade, Kurt disparou uma arma contra seu queixo e deixou uma nota de suicídio dirigida a um amigo imaginário. Seu corpo foi encontrado três dias depois do ocorrido, em 8 de abril.

Para lembrar sua vida breve, porém rica em boas histórias e poesia, apesar de toda a depressão e do vício em heroína, o Bio Beats preparou o especial, que vai ao no dia 28 de julho, sábado, às 22h.

Kurt Donald Cobain nasceu em Aberdeen, Washington. Filho da garçonete Wendy Elizabeth Fradenburg e do mecânico automotivo Donald Leland Cobain, um dos grandes ressentimentos de sua vida foi o divórcio de seus pais quando tinha oito anos – em uma entrevista em 1993 ele conta que se sentia envergonhado porque queria muito ter a segurança de uma família típica. Foi depois disso que começou a apresentar um comportamento recluso e a praticar bullying com os colegas. Ao chegar à adolescência, no entanto, a situação se inverteu e começou a sofrer abusos por andar com um amigo gay e ser considerado homosssexual também. Sobre isso escreveu em seu diário – "eu não sou gay, embora eu desejasse ser, só para irritar esses homofóbicos”.

Os questionamentos sobre o mundo permaneceram em sua vida adulta e foram a base para compor as letras de sua banda, Nirvana, a primeira de Seattle a ganhar exposição mundial e iniciar um novo momento na cena musical. Foi o sucesso deles que abriu as portas para outros grupos grunge de Seattle, como Alice in Chains, Pearl Jam e Soundgarden. Dentre suas composições de maior sucesso estão Come as you are e Smells like teen spirit, do segundo álbum Nevermind e Heart-Shaped Box, do terceiro álbum homônimo, In Utero. Além de suas músicas, a relação com a cantora e compositora Courtney Love, mãe de sua filha Frances Bean, também foi alvo de escrutínio da mídia.