Em menos de quatro séculos, o pouco conhecido culto de Jesus passa de um conjunto muito variado de crenças, que ainda não adota o nome de Cristianismo, para uma força dinâmica e coerente que domina o poderoso Império Romano. No domingo, dia 31, às 21h, o Nat Geo exibe “O Poder de Jesus”, um épico drama humano repleto de suspense, intrigas policiais, brutais perseguições religiosas e pura sorte. Em uma série composta por três partes, o Dr. Michael Scott faz uma jornada por marcos históricos do mundo antigo para descobrir como o Cristianismo se tornou a religião oficial do Império Romano.


Divulgação / Canal Nat Geo

Na primeira parte, ‘O Messias’, em sua busca para descobrir mais sobre a ascensão do Cristianismo no Império Romano, o Dr. Michael Scott aborda o nascimento da religião Cristã. Os romanos executaram o messias judeu Jesus de Nazaré da forma mais humilhante possível. Em um mundo onde as pessoas são definidas pela forma como morrem, Jesus deveria ser classificado como um fracassado e rejeitado. Mas ele não é. A crucificação de Jesus se tornou um dos momentos decisivos do Cristianismo e ele é anunciado como o Messias. A jornada de Michael revela como a mensagem cristã se espalhou e cresceu através da experiência e da tecnologia dos romanos, como ela se tornou mais visível e, portanto, mais vulnerável ao ataque das autoridades romanas, e como ela se auto-organizou e se afastou de suas raízes judaicas.

Na segunda, ‘O Sacrifício’, as autoridades romanas se tornam cada vez mais intolerantes enquanto os Cristãos se recusam a sacrificar os deuses pagãos ao Estado. Com suas práticas estranhas, secretas e misteriosas como a comunhão, os Cristãos são condenados como canibais e desviantes. E, ainda assim, os romanos relutam em levar os Cristãos à morte. Em um ato desafiador na Arena, em Cartago, a mártir Perpetua auxilia seu carrasco, colocando a espada em sua própria garganta. A tentativa de Roma de acabar com o Cristianismo acaba inspirando e ajudando a fazer dele uma força política e religiosa internacional.

E na terceira parte, ‘O Cristianismo’, depois de quase três séculos, os seguidores de Jesus passaram por uma sucessão de perseguições, mas nenhuma tão severa quanto a Grande Perseguição de Diocleciano. Embora muitos cristãos tenham morrido, mais uma vez o Cristianismo vence, desta vez com uma hierarquia organizada unida pela luta pela sobrevivência. Ela se tornou a Igreja. Agora o Imperador Constantino, reconhecendo seu espírito indomável e com seus inimigos ainda adorando deus pagãos, adota o Cristianismo, muda a capital de Roma para Constantinopla e começa a cristianizar seu império. Juliano, depois dele, tenta tirar o poder dos Cristãos mas o vínculo entre a Igreja e o Estado é irreversível e, até o ano de 381 d.C., Teodósio condena o paganismo e proclama o Cristianismo como a única religião legal. A fé evoluiu do crucifixo de Jesus em uma força política e religiosa, permanentemente entrelaçada no tecido do Impé rio Romano.