globo No ‘Globo Mar’ desta quinta-feira, dia 13, Ernesto Paglia embarca em uma viagem pelas águas do Rio de Janeiro e de Santa Catarina para mostrar os segredos da chamada pesca submarina, praticada por atletas ou pessoas comuns que mergulham em apneia, sem a ajuda de um cilindro de oxigênio. Em busca de aventuras e para superar antigos recordes, eles entram na água usando máscaras e um arbalete – uma arma com um elástico de onde um arpão é disparado– e nadam para encontrar seus alvos, peixes nobres como a garoupa, badejo e robalo, que não podem ser comercializados, apenas capturados para consumo próprio.

[creditos:82872c607c]
Ernesto Paglia mostra os segredos da pesca submarina no Globo Mar desta quinta, dia 13
Divulgação Globo/Tarso Figueira [/creditos:82872c607c]

Este esporte chegou ao Brasil ainda na década de 1940 e foi praticada pela primeira vez no Rio de Janeiro. “Naquela época alguns brasileiros que viajavam para o exterior e europeus que vieram morar na cidade trouxeram o equipamento necessário para a prática da pesca submarina. E aqui encontraram as condições ideais: água quentinha e muitos peixes”, conta Ernesto Paglia, que em seguida parte para a Reserva do Arvoredo, em Santa Catarina, segunda parada da expedição desta semana. Lá, o repórter mergulha com os praticantes da pesca submarina da região e propõe um importante desafio: um mergulho em grupo para ajudar a retirar o lixo que polui o fundo do mar do local.

O ‘Globo Mar’ sobre a pesca submarina vai ao ar nesta quinta-feira, dia 13, logo após ‘Pé na Cova’.