Quando contrabandistas de marfim e ambientalistas protagonizam confrontos armados acontece uma guerra – de um lado o crime organizado interessado em matar os animais para extrair a sua presa, no outro, o salvamento de uma espécie ameaçada de extinção. Este é o contexto em que se desenvolve a nova série do Animal Planet Guerra Pelo Marfim, que estreia nesta quinta-feira, 29 de janeiro, às 21h30.

Há 16 anos, a organização Wildlife Works, fundada por Mike Korchinsky, monitora a rota migratória de milhares de elefantes em uma zona onde as manadas ficam extremamente vulneráveis, no meio do caminho entre duas reservas nacionais.
O objetivo é defender a espécie, preservar o habitat e fornecer ocupação para os habitantes locais, mas a missão da Wildlife Works foi seriamente comprometida por um acontecimento registrado no episódio de estreia: uma dupla de patrulheiros da organização sofreu uma emboscada, os dois foram baleados e podem morrer.

Diante da nova e assustadora realidade, a organização recebe o reforço de três novos membros, dois deles foram fuzileiros navais e uma queniana que será responsável pela inteligência das operações. Dispostos a proteger a equipe da Wildlife Works, eles sugerem que Mike reveja um dos fundamentos da organização: a proibição do uso de armas de fogo pelos patrulheiros.

Todos os anos, cerca de 30.000 elefantes são mortos – suas presas são vendidas para suprir a demanda do mercado asiático, sobretudo na China. O contrabando do marfim arrecada mais de um bilhão de dólares, em uma indústria clandestina que segue os moldes do tráfico internacional de drogas.