O julgamento de Scott Peterson é retratado em O Assassinato de Laci Peterson, minissérie original em seis episódios que o canal A&E estreia no dia 5 de dezembro, a partir das 22h30. Em formato de documentário, a produção aborda um caso que destruiu uma família e foi acompanhado pelo país. Esse episódio definiu uma era e ajudou a entender o sistema de justiça criminal dos Estados Unidos – e como influências externas podem afetar esse sistema.

O mistério do desaparecimento de Laci Peterson na noite de Natal de 2002 chamou a atenção da nação. Grávida de oito meses, ela sumiu sem deixar rastros. Os corpos dela e do bebê, Conner, apareceram quatro meses depois nas praias da Baía de São Francisco, causando um frenesi midiático tanto em nível local como nacional. Até este dia, ninguém sabia exatamente quando, onde ou como ela tinha sido morta, embora o seu marido Scott Peterson tenha sido condenado à morte por seu assassinato, mesmo sem evidências ou testemunhas.

Com a proximidade do 15º aniversário do desaparecimento de Laci, O Assassinato de Laci Peterson traz um novo olhar para o caso, reexaminando as evidências circunstanciais e avaliando a influência da mídia na investigação e solução do crime.

A série traz novas entrevistas com Scott Peterson, concedidas dentro da cadeia, e seus familiares. Além disso, a produção apresenta uma extensa lista de depoimentos de testemunhas oculares, especialistas, advogados, policiais, jornalistas e detetives (profissionais e amadores) envolvidos no caso. Entre eles: Nancy Grace, Gloria Alfred, Amber Frey, os detetives Jon Buehler e Ed Steele, os jornalistas Ken Auletta e Maureen Orth, os repórteres investigativos Gloria Gomez e Garth Stapley, o advogado de defesa de Scott Peterson Pat Harris, o advogado de apelação Cliff Gardner, o advogado e colaborador da CNN Chris Pixley e o correspondente da CNN Ted Rowlands.