O diretor baiano Aly Muritiba trabalhou por sete anos na Casa de Custódia de São José dos Pinhais, município da Grande Curitiba, enquanto estudava comunicação e cinema no Paraná. Ele volta ao local para filmar o longa “A Gente”, que retrata a realidade daquele cenário depois de tantos anos e estreia nesta segunda (26) no Canal Brasil. A produção conclui a trilogia do cineasta sobre o sistema prisional brasileiro – formada pelos curtas "A Fábrica" (2011), sobre os familiares que visitam internos, e "Pátio"(2013), narrado a partir da perspectiva dos próprios condenados.

O roteiro tem como protagonista Jefferson Walkiu, chefe da equipe responsável por cerca de mil condenados pela justiça, homens de todas as idades culpados pelos mais diversos crimes. É a partir do trabalho do agente que o filme desenrola as tensões vividas em dias supostamente calmos dentro de uma casa de custódia, lugar onde figura uma tênue linha entre a rebelião e a paz. Sem tomar partido das causas dos antigos colegas de trabalho, o realizador retrata os dilemas perpassados por cada um durante esse expediente aflitivo, desde a burocracia do serviço público até as brigas com os presos.

“A Gente” estreia dia 26 de março, às 22h no Canal Brasil.