Seis novelas se destacam entre as mais pedidas pelo telespectador do canal Viva, em fevereiro. São elas “Livre Pra Voar”, “Vale Tudo”, “Selva de Pedra”, “Brega & Chique”, “Mandala” e “Locomotivas”. E a boa notícia é que uma das próximas a estrear no canal é a novela de Cassiano Gabus Mendes: “Brega & Chique”, com Marília Pêra e Glória Menezes nos papeis principais. É a primeira vez que a história será exibida novamente, na íntegra, desde que estreou em 1987, na Globo. A estreia no VIVA será em agosto.

“Brega & Chique” acompanha Herbert Alvaray, um rico empresário que possui duas famílias. A mulher oficial é Rafaela, uma socialite afetada e cheia de chiliques. A outra é Rosemere, uma mulher simples, do povo. Mas Herbert está falido e, para escapar dessa situação, planeja um golpe perfeito: simula a própria morte e foge do país.

O plano atinge de maneira adversa suas duas mulheres. Enquanto Rafaela empobrece, Rosemere herda uma enorme quantia em dólares. A situação se complica quando Rafaela vai morar com os filhos na mesma vila da periferia onde mora Rosemere. As duas se conhecem e ficam amigas, sem saber que foram mulheres do mesmo homem. A história atinge o seu clímax quando Herbert retorna ao país com outra cara, porte físico e identidade – Cláudio Serra – e tenta se reaproximar de suas duas mulheres, sem que elas desconfiem de nada.

Outro título já confirmado pelo canal, para a faixa das 23h30, é “Roda de Fogo”, com estreia em julho. Escrita por Lauro César Muniz, foi um grande sucesso dos anos 1980, com Tarcísio Meira, Bruna Lombardi, Renata Sorrah, Cecil Thiré, Eva Wilma, Osmar Prado entre outros. Também será a primeira vez que a novela será exibida na íntegra, depois da estreia na Globo, em 1986.

“Roda de Fogo” acompanha Renato Villar, um rico empresário, ambicioso e sem escrúpulos, faz qualquer coisa pelo poder. Após haver remetido dólares para o exterior e participado do extermínio de um amigo que punha em risco sua reputação, descobre um dossiê de irregularidades em uma de suas firmas. Tenta então resolver o problema com a cumplicidade do amigo advogado Mário Liberato, um homem tão perigoso quanto ele.

Para cumprir seus objetivos, Renato se aproxima de Lúcia Brandão, uma juíza incorruptível designada para julgar o seu caso, com a intenção de suborná-la. Mas os dois acabam se apaixonando. É o momento em que Renato recebe a notícia de que tem um tumor no cérebro. Acontece assim uma reviravolta em sua vida: modifica radicalmente o seu comportamento e abandona a mulher, Carolina, para viver seu amor por Lúcia. Ao se redimir ante a doença terminal, impulsiona maquiavelicamente a eliminação de todos os cabeças que compunham o alto escalão do seu grupo financeiro e que o traíram.