Em edição emocionante do talk show "Programa do Porchat", Jô Soares comove o apresentador Fábio Porchat, que, logo em seu texto de abertura, chora ao lembrar, por exemplo, da oportunidade que o humorista deu a ele na atração que comandava em outra emissora. Na ocasião, Jô permitiu que Porchat fizesse um número de comédia no palco. “Foi quando começou a minha vida, não só a minha carreira”, afirma Porchat.

Ao longo da entrevista, que será exibida em duas partes, hoje (18) e nesta quinta (19), Jô Soares não foge de nenhum assunto. Sobre o afastamento da televisão – desde dezembro de 2016, ele não comanda mais um programa de TV -, ele afirma que não tem muita vontade de voltar a apresentar um talk show. Jô ainda confessa que nunca ficou nervoso ao entrevistar qualquer personalidade.

O humorista também conta como foi sua transferência da Globo para o SBT, no fim dos anos 1980. À época, ele era um sucesso popular na Globo, mas queria um espaço na programação para comandar um talk show. Jô também tece comentários sobre política e lamenta as críticas que recebeu após entrevistar a ex-presidente Dilma Rousseff, em 2015. Ele foi acusado de ser petista, e críticos do Partido dos Trabalhadores chegaram a escrever na porta de sua casa: “Morra Jô Soares”.

Assuntos relacionados à ditadura militar, à censura, ao teatro – Jô Soares voltará aos palcos, como ator, em espetáculo que estreia neste primeiro semestre -, e às críticas também estarão na pauta da entrevista.

"Programa do Porchat" com Jô Soares será exibido nos dias 18 e 19 de abril, a partir das 23h45 na Record TV.