No dia 26 de maio, sábado, a Heineken realiza o evento The Grand Finale, que ocupará o último andar do Prédio da Bienal, no Ibirapuera em São Paulo, onde os convidados do evento poderão assistir ao jogo que definirá o grande campeão da temporada 2017/2018 da UEFA Champions League em telões gigantes de cinema que estarão espalhados pelo local. A surpresa ficará por conta da trilha sonora: uma Orquestra Filarmônica regida pelo maestro Xuxa Levy irá potencializar os momentos mais importantes do jogo com trilha sonora emocionante, ao vivo. Um evento único para amantes do futebol, de boa música, e principalmente, para fãs de Heineken.

Inspirado no open air cinemas, exibições de filmes ao ar livre sonorizadas por orquestras, The Grand Finale propõe uma experiência em torno da final da UEFA nunca antes vista no Brasil: O maestro Xuxa Levy irá reger uma orquestra de instrumentistas e coral, que executará uma trilha especialmente composta para o evento ressaltando a emoção dos lances mais importantes da partida como cobranças de faltas, pênaltis e, claro, gols. Composta por 32 integrantes, sendo 12 cantores de coral, 12 cordas, 4 metais, 1 madeira, 2 percussionistas e 1 tecladista, a orquestra de câmara, além de sonorizar a partida, também trará em seu repertório a execução do hino da Liga dos Campeões da UEFA, que é intitulado de "Champions League" (1992), uma adaptação feita por Tony Britten da música "Zadok the Priest" (1727), de George Frideric Handel, e vai potencializar os grandes momentos deste jogo decisivo para mais de 1.500 fãs que irão sentir a emoção de uma partida orquestrada pela genialidade.

O público será convidado a experimentar o drama que só uma Final da UEFA Champions League pode oferecer. Tudo isso potencializado ao vivo por uma orquestra filarmônica. Será a primeira vez em que o futebol se mistura genuinamente com música clássica”, comenta Vanessa Brandão, diretora da marca Heineken. “O grande desafio deste ano é mostrar que os jogos da liga dos campeões são tão emocionantes quanto sucessos de bilheteria. Por isso, a inspiração para o The Grand Finale vem dos open air cinemas, mas essa é a primeira vez que uma partida final da UEFA Champions League receberá uma carga extra de emoção que só uma orquestra clássica conseguiria imprimir a este momento épico”, finaliza Vanessa Brandão.