Uma eleição polarizada, uma Copa do Mundo com sotaque francês, uma casamento real, uma greve de caminhoneiros que paralisou o país, um salvamento milagroso na Tailândia, incêndios que destruíram tesouros no Museu Nacional e cidades inteiras na Califórnia, inimigos históricos que finalmente apertaram as mãos, o avanço das fake news e da luta pelos direitos das mulheres. Um ano de extremos, 2018 contribuiu para mudar o rumo da história no Brasil e no mundo. Na "Retrospectiva 2018" que vai ao ar na sexta-feira (28), Gloria Maria e Sérgio Chapelin lembram fatos e imagens que marcaram os últimos 12 meses.

“Essa ‘Retrospectiva’ fará com que a gente lembre de 2018 como um ano intenso. As pessoas terão a oportunidade de analisar e decidir o que querem para o futuro. Relembrar o que aconteceu nesse ano imprevisível e surpreendente nos fará pensar e melhorar”, acredita Gloria Maria.

À frente do programa há 26 anos, a editora-chefe Silvia Sayão acredita que a ‘Retrospectiva’ ativa a memória afetiva do público. “É uma releitura do ano sem separação por editorias e sem seguir uma ordem cronológica. Uma característica muito legal é a ligação sentimental do público com o programa. As pessoas gostam de lembrar o que estavam fazendo no momento de cada acontecimento do ano”, conta Silvia.

A ‘Retrospectiva 2018’ vai ao ar no dia 28 de dezembro, logo após a novela ‘O Sétimo Guardião’ na Globo.