Nesta segunda (25), o Canal Brasil estreia "As Pastoras – Vozes Femininas Do Samba". O documentário de Juliana Chagas passeia pela história de vozes femininas que mantém esta prática na Velha Guarda da Portela e destaca a representatividade da mulher em um meio reconhecidamente dominado por homens.

Antes do samba se tornar um negócio milionário, o canto de terreiro movia as agremiações e unia as comunidades em busca das melhores composições. Neste cenário, as pastoras ganharam força nas escolas, sendo elas as responsáveis por entoar os cânticos preferidos e decretar a canção vencedora. Com o passar dos anos, este ritual foi se perdendo e dando lugar às disputas políticas nas quadras.

O longa-metragem caminha por depoimentos de Iranete Ferreira Barcellos, a tia Surica, intérprete de Memórias de um Sargento de Milícias, de Paulinho da Viola, no desfile de 1966 e célebre integrante da “Majestade do Samba”; Neide Sant’anna, filha de Chico Sant’anna, compositor símbolo da agremiação; Áurea Maria, filha de Manacéa, lenda da Música Popular Brasileira; e Jane Carla, afilhada de Dona Jurema, histórica baiana da azul e branco de Madureira. Engendrando a narrativa, a cineasta caminha pelos eventos que movem uma escola durante o ano, como a feijoada, ensaio técnico, desfile e a tão temida apuração. Tal percurso serve para salientar a importância das vozes femininas como guias espirituais de toda uma comunidade.

"As Pastoras – Vozes Femininas Do Samba" estreia dia 25 de fevereiro, às 18h no Canal Brasil.