Ainda crianças, elas se uniram para salvar o parque do bairro e descobriram a vocação para a militância ambiental. Tornaram-se o que já tinham talento para ser: a ativista Luiza (Leandra Leal) que cria o ato, a jornalista Natalie (Débora Falabella) que o divulga e advogada Verônica (Taís Araujo)  que resolve as enrascadas.

Anos mais tarde, o trio fundou a ONG ARUANA, referência mundial em ambientalismo investigativo. Junto à estagiária Clara (Thainá Duarte), elas se unem para investigar uma série de crimes contra o meio ambiente cometidos na região amazônica. Essa é a trama de “Aruanas”, série original Globoplay que estreia nesta sexta (28). O elenco completa com nomes como Camila Pitanga, Luiz Carlos Vasconcellos, Gustavo Vaz, Vitor Thiré, Ravel Andrade entre outros.

Agora, uma nova investigação estava em curso. Uma fonte anônima prometia provas contra a mineradora KM no aumento de doenças neurológicas em uma cidade à margem da Floresta Amazônica, mas aparece morto. Sem o dossiê e com o intermediário morto, elas enfrentarão o silêncio da população local, o carisma do presidente da KM e o inabalável prestígio da empresa que, praticamente, sustenta a economia do lugar.

O ouro criou ao seu redor uma rede de corrupção, trabalho escravo, prostituição, miséria e mortes. Em um desfecho arrebatador, elas arquitetam um plano ambicioso para expor o quebra-cabeça com todas as peças em seus devidos lugares. Se elas não fizerem alguma coisa agora, muito antes disso, aquela região inteira terá sumido do mapa.

A série também terá lançamento mundial, chegando a mais de 150 países, com legendas em 11 idiomas: inglês, espanhol, francês, italiano, alemão, holandês, russo, árabe, hindi, turco e coreano. A série estará disponível em aruanas.tv, em um ambiente powered by Vimeo, onde poderá ser comprada por US$ 12,90. De julho a outubro, 50% das vendas serão doadas para uma iniciativa (a ser revelada) de proteção da floresta amazônica.

“Aruanas” já está disponível no Globoplay.