Um dos mais talentosos jornalistas de sua geração, Paulo Henrique Amorim faleceu na madrugada desta quarta-feira, dia 10 de julho, aos 76 anos, deixando um grande legado para a história da imprensa nacional.

Uma parte desta história foi escrita na Record TV, onde trabalhou desde 2003 e imprimiu sua marca em quatro programas. A estreia foi na apresentação do “Jornal da Record – 2ª edição”, onde também trouxe o quadro “Conversa Afiada”, que, na época, comentava os assuntos de política e economia. O telejornal mudou de nome e passou a se chamar “Edição de Notícias”.

No ano seguinte, foi criador da revista eletrônica vespertina “Tudo a Ver”, que revelou para a televisão as apresentadoras Ana Hickmann e Chris Flores. Participou do primeiro time de apresentadores da Record News no programa “Entrevista Record News – Entretenimento”. De 2006 até este ano, apresentou o “Domingo Espetacular”.

PHA, como era chamado nos bastidores da TV, ficou famoso pelo seu bordão “Boa noite, Boa sorte!”, que admitia ter trazido de um apresentador da televisão americana da CBS chamado Edward Murrow, que dizia as tais palavras. Em entrevista ao portal  R7, em 2015, comentou sobre sua paixão pela profissão: “Eu nasci jornalista e vou morrer jornalista. Vou morrer diante das teclas do computador”.