Charles Gavin se jogou de cabeça no universo feminino para traçar um panorama inédito da música brasileira sob a ótica de grandes mulheres, das mais diferentes gerações. A 13ª edição do programa “O Som do Vinil”, que estreia nesta segunda (15) no Canal Brasil.

Este ano, as conversas vão além da arte, e questões de gênero, machismo e homofobia são discutidas pela primeira vez. Os episódios passeiam pela história de discos notáveis produzidos por artistas da nova geração, como a carioca Letrux e a baiana Xênia França, e de grandes damas como Elza Soares, Sandra de Sá, Leny Andrade e Gal Costa, que abre a temporada.

O baterista e pesquisador ainda recebe personalidades como Roberta Sá, Fernanda Takay, Zélia Duncan, Leila Pinheiro, Joyce, Fátima Guedes, Simone, Dóris Monteiro e Joanna, Tia Surica e Aurea Maria, da Portela, entre outras. E joga luz sobre artistas que estão longe dos holofotes, como Sandra Pera, que depois de deixar As Frenéticas lançou um único LP solo, em 1983; Doris Monteiro, rainha do rádio, que fala sobre o disco “Sobre Doris Monteiro”, de 1969; e Eliana Pittman, que comenta o álbum “Tô Chegando, Já Cheguei”, de 1974, e sobre o ápice de sua carreira, quando tocou no Olympia de Paris e foi entrevistada por Jerry Lewis, em seu talk show.

Colecionador ávido de LPs raros e pesquisador atento aos lançamentos da produção nacional, o antigo baterista dos Titãs comanda o longevo programa, que é considerado o mais importante sobre música da televisão brasileira. As entrevistas abordam trabalhos antigos e atuais, dissecando faixa a faixa o que há por trás e à frente de cada álbum.

A nova temporada com 26 episódios começa com Gal Costa, que fala sobre seu 40º e mais recente álbum, “A Pele do Futuro”, lançado em 2018.

A 13ª temporada de “O Som do Vinil” estreia dia 15 de julho, às 23h no Canal Brasil.