Na última semana, a saída de Juca Kfouri da ESPN (e de outros profissionais) causou diversas manifestações pela mídia e pelas redes sociais. Pouco foi falado, no entanto, sobre uma grande coincidência de destino profissional entre Juca e seu outro ex-colega e fundador da ESPN, José Trajano. Ambos dão expediente na TVT – ou “TV dos Trabalhadores”, emissora mantida pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (São Paulo) e criada durante o governo Lula-Dilma, em 2010 – e que ironicamente teve o seu pico de audiência no dia da prisão do ex-presidente.

A emissora diz ser um veículo que tem “compromisso com a democracia, o fortalecimento da cidadania e a justiça social”.  Sua grade é composta, basicamente, por programas isentos pró-esquerda – e seu jornalismo defende, declaradamente, o governo de Nicolás Maduro na Venezuela.

Kfouri comanda o “Entre Vistas”, que segundo descreve o próprio site da atração: “discute temas atuais de interesse público com personalidades do contexto nacional e internacional”. Seus entrevistados mais recentes foram Dilma Rousseff (PT), Luisa Erundina (PSOL) e – tcha-ran! – Lula (PT).

Trajano apresenta o “Papo com Zé Trajano”, um “bate papo descontraído e com a presença de convidados especiais”. O programa tem uma pauta anti-Bolsonaro majoritariamente política – e suas edições, exibidas de segunda a sexta no YouTube, alcançam de 2 a no máximo 4 mil visualizações.

Em resumo, ninguém soltou a mão de ninguém…