Um certo político brasileiro (não, não vamos dar audiência para este tipo de político que tenta praticar censura em pleno século XXI) tentou censurar a história em quadrinho da Marvel, “Vingadores – A Cruzada Das Crianças“, que estava em exposição na Bienal do Livro que acontece no Rio de Janeiro. Detalhe, apesar do título, a obra não é destinada ao público infantil.

O motivo? O conservadorismo religioso do político teria se sentido incomodado por que em uma das páginas havia um beijo gay. Diante disto, mandou recolher todos os exemplares.

No entanto, a Bienal do livro soltou nota explicando que por ser “consagrada como o maior evento literário do país, dá voz a todos os públicos, sem distinção, como uma democracia deve ser. Este é um festival plural, onde todos são bem-vindos e estão representados. Inclusive, no próximo fim de semana, a Bienal do Livro terá três painéis para debater a literatura Trans e LGBTQA+. A direção do festival entende que, caso um visitante adquira uma obra que não o agrade, ele tem todo o direito de solicitar a troca do produto, como prevê o Código de Defesa do Consumidor“.

Não bastasse a nota, a Bienal decidiu que não iria acatar a tentativa de censura e o livro seria mantido à venda.

Quer mais? Todos os exemplares que estava expostos foram vendidos em tempo recorde na manhã desta sexta-feira. Se a ideia do político era esconder este tipo de conteúdo, não deu certo e ainda ativou a curiosidade do público.