Eita! Os fãs da franquia de “O exterminador do futuro” estreia nesta quinta-feira, dia 31 de outubro, nas principais salas do cinema.

Em “O exterminador do futuro – Destino sombrio“, Sarah Connor voltou de longe e está se preparando com uma equipe de agentes que lutarão contra o T-1000.

O clássico “A família Adams” também está de volta aos cinemas, desta vez em formato de animação.

O cinema brasileiro aposta em “Intruso“. Uma família é obrigada a receber em casa um visitante desconhecido, que apenas o patriarca e sua esposa parecem saber o motivo de estar ali. Todos tentam manter suas vidas normalmente, mas a chegada desse hóspede exige que certas regras sejam seguidas: ninguém pode deixar a casa. Os membros da família que quebram as regras são punidos e ninguém pode ajudá-los.

Outra opção nacional é a comédia “Maria do Caritó“. Cansada da vida solitária que leva, Maria sonha em encontrar um verdadeiro amor. Prometida pelo pai para ser entregue virgem a São Djalminha, um santo de quem ninguém nunca ouviu falar, só mesmo um milagre poderia ajudar. A única certeza que Maria tem é que, custe o que custar, ela precisa desencalhar e sair de uma vez desse Caritó.

Quer animação nacional? Então se liga em “A cidade dos piratas“. Inspirado nos famosos quadrinhos da cartunista Laerte. A história mescla a jornada de transição da artista e do diretor, que encara a morte após ser diagnosticado com câncer. Cria-se, então, um abismo caótico entre ficção e realidade na animação mais louca de todos os tempos.

Do mercado americano chega a biografia “Segredos oficiais“.

Fã de Ricardo Darín? Então, se prepare para rir com “A odisseia dos tontos“. Um grupo de amigos e vizinhos perde o dinheiro que havia conseguido reunir para reformar uma antiga cooperativa agrícola. Em pouco tempo, descobrem que sua poupança se perdeu por uma manobra realizada por um inescrupuloso advogado e um gerente de banco que contavam com informação do que ia acontecer no país. Quando descobrem o que aconteceu, o grupo de vizinhos decide organizar-se e preparar um minucioso plano com o objetivo de recuperar o que os pertence.

E que tal um drama da Argélia? Fique atento à estreia de “Papicha“. Argélia, anos 1990. Nedjma, uma estudante de 18 anos, apaixonada por design de moda, se recusa a deixar que os trágicos acontecimentos da Guerra Civil da Argélia a impeçam de experimentar uma vida normal e sair à noite com sua amiga Wassila. À medida que o clima social se torna mais conservador, ela rejeita as novas proibições impostas pelos radicais e decide lutar por sua liberdade e independência apresentando um desfile de moda.

Ok, prefere comédia israelense, certo? Confira então “Amor em jogo”. Na conservadora cidade de Jerusalém, o jogador de futebol israelense Ami é forçado pelo chefão da máfia a fingir que é gay, uma punição por ter flertado com a namorada do criminoso. Ami é banido pelos jogadores e torcedores do time, mas acaba virando um herói da comunidade gay do país.

Fechando a semana estreia a produção nacional “Rogéria, senhor Astolfo Barroso Pinto“. Vida e a trajetória artística de Rogéria a partir da dualidade entre artista e personagem, entre Rogéria e Astolfo. Passando por todos os momentos da vida da transformista, mescla dramatizações de episódios vividos pela protagonista – como o acidente que lhe feriu a cabeça – e depoimentos de artistas brasileiros, como Bety Faria, Jô Soares, Bibi Ferreira e Aguinaldo Silva.

Boa diversão!