A guerra civil entre as tropas do governo e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) deixou, durante mais de meio século, cicatrizes ainda abertas na vida dos cidadãos do nosso vizinho sul-americano. Milhares de pessoas foram assassinadas durante os conflitos armados e muitas outras morreram simbolicamente ao perderem o sentido da vida depois do adeus a tantos entes queridos.

A cineasta Beatriz Seigner dirige “Los Silencios”, que estreia nesta quinta (14) no Canal Brasil, foca seu olhar no luto de quem perdeu a família e foi obrigado a deixar a própria casa. O drama foi vencedor do Candango de melhor diretor e do prêmio Abraccine no Festival de Brasília em 2018, além de láureas em Cuba, Peru, Suécia e Índia.

A Ilha da Fantasia é um pequeno território na fronteira entre Brasil, Colômbia e Peru e, mesmo com três países nas margens, não possui nenhum governo. É lá que Amparo (Marleyda Soto), mãe de duas pequenas crianças, procura abrigo da guerra civil após o desaparecimento do marido (Enrique Dias). A pequena ilha, inundada durante parte do ano, é o ponto de encontro de muitos outros colombianos que, assim como a protagonista, procuram o recomeço da vida longe das explosões. Em um local abandonado, com grande escassez de empregos, população pobre em busca de sobrevivência e famílias destroçadas pela violência, o silêncio não vale ouro ou prata; apenas lhes desvia do chumbo e ameniza o luto das perdas.

“Los Silencios” estreia dia 14 de novembro, às 20h40 no Canal Brasil.13