A Telefônica Brasil – dona da marca Vivo no país – divulga, nesta segunda-feira, dia 4 de novembro, o balanço financeiro e operacional do terceiro trimestre de 2019. No período, a empresa apresentou seu maior crescimento de receita líquida dos últimos três anos, com alta de 2,6%, refletindo o desempenho das receitas de serviço móvel, aparelhos e banda larga de ultravelocidade.

No acumulado do ano de 2019, a empresa registrou lucro líquido recorrente de R$3,9 bilhões, representando crescimento anual de 2,6%. Por outro lado, devido, principalmente, a ganhos não recorrentes nos primeiros noves meses de 2018, relacionados a decisões transitadas e julgadas do Superior Tribunal de Justiça (STJ) relativas ao pagamento de PIS e COFINS sobre o ICMS, o lucro líquido contábil reportado apresenta redução de 49,9% no mesmo período.

Nos nove primeiros meses do ano, o EBITDA – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – recorrente registrou R$ 11,7 bilhões, com crescimento de 2,2% na comparação com igual período anterior e margem de 35,5%.  O EBITDA recorrente no 3T19 foi de R$ 4,0 bilhões, com crescimento de 2,8% e margem EBITDA de 36,2%. Adicionalmente, o fluxo de caixa livre da atividade de negócio apresentou crescimento de 18,6% no trimestre, atingindo R$ 2,2 bilhões. No acumulado do ano, o valor chegou a R$ 5,6 bilhões, representando um crescimento de 14,9% quando comparado com o mesmo período anterior.

Apresentamos maior crescimento de receitas, graças a nossa estratégia focada nos segmentos de fibra e pós-pago. Por outro lado, através de uma gestão financeira disciplinada e esforços contínuos de digitalização, sustentamos forte rentabilidade e geração de caixa”, explica o Chief Financial Officer da Telefônica Brasil, David Melcon.

De janeiro a setembro, o foco dos investimentos de R$ 6,5 bilhões – aumento de 6,7% quando comparado ao mesmo período do ano passado – foi dedicado à expansão da rede FTTH (fibra), que chegou a 33 novas cidades no período, e na ampliação da cobertura e capacidade da rede 4.5G, em 1.096 municípios. No trimestre, o investimento ficou em R$ 2,4 bilhões, um aumento de 1,6% em relação ao igual trimestre anterior.

Todas as nossas iniciativas são pautadas pelo compromisso com a digitalização da sociedade, oferecendo as melhores tecnologias de conexão móvel e fixa. Já levamos o Vivo Fibra para 154 cidades, 33 somente ao longo deste ano, garantindo uma experiência única de conectividade. Na móvel, apresentamos melhora de tendência no pré-pago, seguimos na liderança no segmento pós-pago, e estamos avançamos cada vez mais com a tecnologia 4.5G por todo o Brasil”, explica o presidente-executivo da Vivo, Christian Gebara.