Olá, internautas

Nesta quinta-feira (12/12), a Record TV exibiu a grande final de “A Fazenda 11”. Lucas Viana consagrou-se o grande vencedor com 59,17% da votação. Hariany Almeida ficou em segundo lugar com 28,63%. Diego Grossi garantiu o terceiro lugar com 12,20%.

Lucas mereceu a vitória por ter sido mais intenso no reality. Apresentou-se com suas virtudes e defeitos. Mimado. Grudento. Bom coração. Imaturo. Boa gente. Além disso, o modelo foi rejeitado por grande parte do elenco pela sua personalidade. Zombaram o peão com o apelido “bebezão”. E parte do público ficou ao seu lado. Rejeição normalmente comove.

Já conhecia o Lucas pelas redes sociais. O mineiro é um dos homens mais bonitos que passaram pela sede de A Fazenda. E o telespectador teve a oportunidade de acompanhar o lado frágil do ser humano até então marcado pelo corpo sarado. Esse é o mote de qualquer reality. Desnudar o participante e envolver o público com a história apresentada.

Apesar disso, “A Fazenda 11” termina como a pior da história do reality. O elenco com nomes fracos não despertou interesse. O diretor Rodrigo Carelli deveria reavaliar urgentemente a escalação de egressos do “De Férias com o Ex”, da MTV. Pessoas desconhecidas do público da emissora e da TV aberta no geral.

Bifão e Tati Dias acrescentaram em nada ao programa. As duas chegaram ao ápice de discutir quem “pegava mais” o Caio Castro. A direção nitidamente escalou participantes que poderiam transformar a sede de Itapecerica da Serra em um motel. E conseguiu em parte. Tati e Guilherme ficarão marcados por terem transado na piscina da fazenda, de acordo com a boataria que circulou na web. O mais inusitado é que as cenas são cortadas até na exibição 24 horas do PlayPlus. Então, fica a pergunta: pra que escalar esse tipo de participante? Repercussão negativa.

Parte do elenco não deixou vestígio algum. Aricia, Sabrina, Netto, Tulio e Guilherme Leão (que apenas gerou maior visualização do seu vídeo íntimo) não aproveitaram a oportunidade. Rodrigo Phavanello, que começou como um personagem que “queria transar na casa da árvore”, foi sendo ele mesmo no decorrer da temporada. Errou ao cair no assédio de Sabrina. Entrou na história de casal e saiu apagado.

Andrea Nóbrega foi a participante mais polêmica da edição. Ao lado de Lucas, foi a mais interessante de se acompanhar. Entrava em conflitos. Não ficou em cima do muro e não ensaboetava, vocábulo que marcou essa edição. Deixou sua marca e ganhou uma personalidade na mídia. Deixou de ser ex-esposa de Carlos Alberto.

Hariany, que entrou como a favorita de “A Fazenda 11”, reforçou sua personalidade “leve” vinda do “BBB19”. Porém, entrou em ziguezagues durante o relacionamento com Lucas.  Brigava. Não queria mais. E depois, aproximava do modelo. Além disso, ela tinha um namorado no “mundo real”. E mesmo assim, cedeu a “tentação”. Não passou pelo Teste de Fidelidade. Complicado. E o boné, que virou verdadeira mandinga dos vencedores do reality, não surtiu efeito em Hari.

Diego Grossi aproveitou a oportunidade para passar um ar mais sereno e maduro, após a tumultuada passagem no “Power Couple Brasil”. Objetivo alcançado. Thayse ficará marcada pelo seu modo “peculiar” na cozinha.

Jorge e Drika passaram pela Fazenda. Suas imagens continuarão atreladas ao “Power Couple Brasil”.

Dois participantes saíram queimados de “A Fazenda 11“. Phellipe Haagensen é mais um expulso do reality. Ficará com a mácula de ter sido agressivo e assediado Hariany. “Eu estava carente, sou um cara muito mulherengo, me deu vontade de beijar”, tentou justificar.

Já Viny Vieira saiu com a imagem de um comediante “forçado”. Sem graça em suas imitações desnecessárias durante as roças. Proferiu discurso machista contra a Hari. Até maltratou o galo.

A mineira Paula von Sperling, de Lagoa Santa, venceu o BBB 19. Já o mineiro Lucas Viana, de Ipatinga, venceu A Fazenda 11. Os mineiros dominaram os realities neste ano.

Fabio Maksymczuk