Olá, internautas

2019 ficará marcado como um ano repleto de casos que mexeram com a sociedade brasileira. Desde o desastre ambiental em Brumadinho até a morte de Gugu Liberato, a TV brasileira se mobilizou para cobrir os acontecimentos.

Segue a relação dos melhores da TV brasileira:

MELHOR NOVELA: Bom Sucesso

Em um ano marcado por novelas, em sua grande maioria regulares, “Bom Sucesso” se destacou em 2019. A trama, de Paulo Halm e Rosane Svartman, com direção artística de Luiz Henrique Rios e direção geral de Marcus Figueiredo, sobressaiu, principalmente na primeira metade da obra.  A novela tem o mérito de incentivar o hábito da leitura no telespectador. Além disso, a diversidade étnica marca o elenco. Ponto positivo. O drama central, protagonizado por Alberto (Antonio Fagundes) e Paloma (Grazi Massafera), sobre a finitude da vida, sensibilizou o público. Além disso, o casal de protagonistas formado entre Paloma e Marcos (Rômulo Estrela) funcionou no vídeo.

MELHOR ATRIZ: Marjorie Estiano (Sob Pressão)

Marjorie viveu o auge de sua carreira artística na terceira temporada de “Sob Pressão”. A sua atuação, no episódio duplo da série, é inesquecível. Nesta oportunidade, doutora Carolina, que estava grávida, perdeu o seu bebê por um incidente. Marjorie transmitiu, através do olhar, todo o horror interno e externo, já que no hospital também ocorria troca de tiros entre polícia e bandidos com feridos e mortos espalhados pelos corredores.

MELHOR ATOR: Felipe Camargo (Espelho da Vida)

O ator sobressaiu em “Espelho da Vida” com o maior espaço dado aos anos 30 na trama. Camargo trouxe toda a sua experiência ao incorporar Coronel Eugênio. Foi um dos seus melhores trabalhos na teledramaturgia. Excelente. A ambivalência com Américo se transformou em um desafio duplo.

MELHOR SÉRIE: Sob Pressão

“Sob Pressão” é uma atração necessária na TV brasileira por jogar luz, através da teledramaturgia, sobre a caótica rede de saúde pública do nosso País. A competente direção artística de Andrucha Waddington e direção de Mini Kerti, Rebeca Diniz, Pedro Waddington e Julio Andrade trouxe ritmo à série. O telespectador fica envolvido com a história narrada. O drama do sistema de saúde aliado aos conflitos dos personagens não “pesam” na atração. Roteiro e direção trabalham com destreza.

MELHOR REALITY SHOW: Troca de Esposas

O “Troca de Família” já tinha deixado saudade no telespectador. A nova versão apresentada por Ticiane Pinheiro na Record TV ocupou o vácuo. Em todas as trocas, o telespectador pôde se reconhecer (ou não) com os hábitos dos participantes. Em uma residência, só usavam copos de plástico para não lavar louça. Ou então, outra família preferia solicitar delivery no jantar para também não lavar tanta louça. Ou aqueles que preferem fazer lanche ao invés da tradicional janta. E assim por diante.

MELHOR TALENT SHOW: Canta Comigo

“Canta Comigo” é um dos programas mais belos da TV brasileira. O cenário é deslumbrante. Realmente, é uma embalagem moderna para o velho conhecido “show de calouros”. E nesta temporada, a produção exibida na Record TV escalou cantores bem superiores em relação ao ano passado. O “sarrafo” subiu. A disputa ficou muito mais acirrada. A vitória do haitiano Franson, que sensibilizou o telespectador, coroou a boa temporada. Além disso, foi a última atração comandada por Gugu Liberato que já deixa saudades na TV brasileira.

MELHOR APRESENTADOR (A): Ana Maria Braga

Neste ano, o programa “Mais Você” celebrou 20 anos na TV Globo. No decorrer desse tempo, Ana Maria Braga sempre emprestou sua identidade ao programa matinal. A veterana apresentadora é um dos principais nomes da TV brasileira. É uma companheira do público.

MELHOR PROGRAMA JORNALÍSTICO: Conexão Repórter

“Conexão Repórter” adaptou-se à faixa da meia-noite de segunda para terça-feira no SBT. Neste ano, Cabrini viajou pelo mundo atrás da notícia. Entrevistou, em primeira mão, o ex-Dominó Marcelo que revelou detalhes sobre o acidente que vitimou Gugu Liberato. Foi in loco na escola em Suzano onde ocorreu o atentado que deixou dez mortos. Entrevistou populares nas ruas até políticos no centro do poder. Transformou números frios em histórias de vida.

Fabio Maksymczuk