Olá, internautas

Neste sábado (25/01), a TV Gazeta chegou aos 50 anos. Importante marco para a emissora da Fundação Cásper Líbero.

No decorrer desse cinquentenário, a TV Gazeta deixou sua marca para os telespectadores. De 2000 para cá, a programação se baseia em três pilares: programas femininos, jornalismo e esporte. Mulheres, Gazeta Esportiva e Mesa Redonda permanecem como as principais atrações.

Porém, a emissora vive um momento preocupante. Demissões de dezenas de profissionais marcam a atual fase. O jornalismo foi o setor mais atingido.  “Jornal da Gazeta” ficou desidratado com o corte de funcionários.

Não há investimento na programação. Na realidade, a grade vai das 10 horas até 20 horas, ou seja, apenas 10 horas. Ronnie Von foi demitido. “Todo Seu”, que sempre serviu como uma boa opção, saiu da grade após longos anos. Para tapar o buraco, escalaram reprises do “Você Bonita” e “Cozinha Amiga”. Agora, nem isso. A TV Gazeta alugou a faixa para a Ultrafarma.

Apostam em produções de vendas, como Gazeta Shopping. Alugam horários para a Igreja Universal. Grade anêmica.

A TV Gazeta poderia servir como um celeiro de novos talentos. A interessante conexão com a Faculdade Cásper Líbero sumiu da grade. Aboliram o “Núcleo da Criação”.

Na última sexta-feira (24/01), Regina Volpato festejou os 50 anos no programa “Mulheres”. A apresentadora comandou um bom bate-papo com o crítico José Armando Vannucci, Elmo Francfort e o diretor Nilton Travesso. O quarteto destacou os momentos mais marcantes da história da emissora, como a parceria entre CNT-Gazeta nos anos 90.

O canal mais paulistano precisa de criatividade. Necessita de uma injeção de vitalidade.

Fabio Maksymczuk