Em pouco mais de duas semanas no ar, a Coronavirus News Network CNN Brasil já mostrou a que veio. Trata-se nada mais, nada menos, do que uma versão gourmetizada do jornalismo da TV Record, obviamente melhor embalada, e com alguns toques de ex-jornalistas da Globo para efeitos mais… decorativos. No mais, do ponto de vista de informação, análise e debates reais, o canal tem se mostrado apenas um cupcake sem muito sabor.

O pouco sabor poderá, a partir de agora, ser nenhum. Com a saída de Gabriela Prioli do “Grande Debate”, quadro que – nos moldes da CNN americana – traz pontos de vista contraditórios sobre temas atuais, o canal empobrece o espaço já escasso para análises. O principal diferencial de Gabriela era trazer, na qualidade de advogada, um debate de nível técnico e sem animosidades – praxe atual em qualquer debate entre esquerda x direita, seja no rádio, na TV, no YouTube ou em qualquer outro veículo. Desta forma, quem perde é, principalmente, o espectador.

Gabriela certamente terá um novo (e melhor) rumo, seja ainda na CNN Brasil ou em outro veículo que esteja disposto a bancar um jornalismo com a real troca de ideias. A falta de boas mentes pensantes é uma lacuna que tem de voltar a ser preenchida com urgência, sob risco da completa marginalização da comunicação no Brasil. Debater ‘ideologias’ diferentes apenas comparando governos e usando palavras rebuscadas tem tornado o Brasil um celeiro de discussões e brigas que parecem não ter fim, e que em nada contribuem para o bom andamento do país.

Enquanto isso, continuamos de olho na linha que a CNN Brasil pretende seguir daqui para frente. Por enquanto, nem à esquerda, nem à direita: a linha é o puro, simples e padrão ‘oba-oba’. Nada muito surpreendente.


Abaixo, o ‘polêmico’ video que causou a saída de Gabriela (por opção dela, vale lembrar), após a desnecessária intervenção do âncora Reinaldo Gottino, que já se desculpou publicamente: