Estrelado por Ayla Gresta, Gustavo Halfeld, Steven Lange e Marat Descartes, “Ainda Temos a Imensidão da Noite”, drama de Gustavo Galvão ambientado entre Berlim e Brasília, estreia na segunda (27), no Canal Brasil. O filme propõe uma série de questionamentos sobre o mundo contemporâneo, a produção artística e sua necessidade comercial, as dores relacionadas ao passado, a pressão familiar e a complicada relação de quem está preso em um escritório sonhando com os palcos.

Karen (Ayla Gresta) é trompetista e vocalista de uma banda de rock de pouco sucesso. Cansada de seu emprego, ela decide seguir os passos de Artur (Gustavo Halfeld), ex-membro de sua banda, e tentar a sorte na Alemanha. A viagem, no entanto, não sai exatamente como planejado e, obrigada a retornar ao planalto central, a protagonista precisa entender o seu papel e a função da arte na cidade que o avô ajudou a construir.

A Brasília que faz as vezes de cenário para o longa é bem diferente do estereótipo da capital federal. Karen e sua banda remetem de forma mais convincente a um conceito anárquico do que propriamente à burocracia comum à cidade e trazem um ideal juvenil distante do rigor e da formalidade frequentemente associados à sede do governo federal. A forma de captar os afetos é fluida e a música exerce um papel de afronta à morosidade que vai muito além da comunicação simples, dando protagonismo a um lugar no qual a política vem sempre em primeiro lugar. Entre realismo e alegorias, há espaço para esquetes cômicas e momentos sombrios de raiva e invisibilidade. O sopro do instrumento da personagem principal transforma-se em um verdadeiro grito de independência de quem não viaja a lugar algum dentro das asas do plano piloto.

“Ainda Temos a Imensidão da Noite” estreia dia 27 de julho, às 19h30 no Canal Brasil.