Olá, internautas

Enquanto a linha de realities “bate cabeça”, a Record TV ganhou um reforço importante em sua programação na noite desta quinta-feira (23/07). O “Repórter Record Investigação” retornou agora sob comando da competente Adriana Araújo. O experiente Domingos Meirelles, que comandava a atração, não pode ser descartado pelo canal. É um ícone do telejornalismo da emissora da Barra Funda. Em tempos de Covid-19, é melhor resguardá-lo.

Nesta primeira edição, Adriana apenas leu as chamadas da grande reportagem que destacou o serial killer Francisco das Chagas e contou com uma entrevista exclusiva de sua ex-mulher e da sua filha mais velha. A ex-esposa demonstrou todo o seu rancor com o ex-marido. A amargura se incrustou em sua face, através das rugas. Por outro lado, a filha revelou seu amor incondicional ao pai.

A reportagem, produzida pelos jornalistas Marcus Reis, Giulia Gazetta, Aldrich Kanashiro e Michel Mendes, desnudou a incompetência da polícia do Maranhão que não deteve o assassino de 28 meninos pelas periferias do Maranhão durante 12 anos. Famílias dilaceradas. O jornalístico também denunciou a péssima situação das casas entregues às famílias das vítimas como “Indenização”.

Na próxima quinta, a reportagem continuará a desvendar o serial killer que pode ter feito mais vítimas além dos limites do Maranhão. Esse é o mote do “Repórter Record Investigação” que esmiúça o personagem ou fato que perturba o telespectador. A longa reportagem ganha o merecido espaço em um jornalístico que sempre prezou pela excelência do verdadeiro jornalismo.

Adriana poderia comandar sua própria reportagem nas próximas edições. Ficar no estúdio é pouco para a competência da profissional.

Adendo: uma justiça histórica ocorreu nesta quinta (23/07) na segunda edição do “Mestre do Sabor”. Dario, que já deveria ter sido finalista e vencedor do “MasterChef Profissionais”, teve o seu talento reconhecido na tela da TV Globo. Parabéns.

Fabio Maksymczuk