Mesmo que as pesquisas apontem que o público feminino representa 53,8%, o mundo dos games ainda tem muito que caminhar para se tornar inclusivo e diversificado. E quando se fala em diversidade, a representatividade LGBTQIA+ tem um papel transformador, pelo menos é o que contam as integrantes do Clã Buique, que há pouco mais de ano fazem parte do time de talentos da Nimo TV.

Lucroft, Demi, Sabrinoca e Nicky Mitrava contam com jornadas de vida muito diferentes, que se encontraram dentro de um servidor de GTA V RP – modalidade de jogo que permite que os participantes criam suas próprias histórias. Com talento de sobra, há pouco mais de um ano elas estreavam na Nimo TV e começariam a fazer história na plataforma.

Quando fomos convidadas para fazer parte do time de talentos da Nimo TV criamos o nosso nome ‘Buíque’. A ideia surgiu de uma brincadeira recorrente que fazíamos durante o jogo, toda vez que éramos presas. Falávamos que iríamos para o Buíque, em referência a um presídio que tem em uma cidade, com o mesmo nome, em Pernambuco”, conta Demi.

A autenticidade também é um dos diferenciais do Clã Buíque. Todas falam abertamente sobre tudo com os seus seguidores e é deles que vêm a força para continuarem se reinventando e melhorando a cada dia. Para Nicky é preciso estar atento ao público e às movimentações de outros streamers para nunca perder seus diferenciais. E ela dá a dica: “Streamar virou algo muito fácil para as pessoas e quem está nesse ramo precisa estar sempre se reinventando para continuar tendo cada vez mais sucesso.”

Mas a trajetória não é só feita de sucessos. O preconceito é algo recorrente no cotidiano delas. Sabrina acredita que, infelizmente, ainda é algo que vai perdurar por muito tempo, e mesmo recebendo algumas mensagens desagradáveis nas redes sociais, o apoio dos fãs supera qualquer negatividade. “Sou sempre muito acolhida pelo meu público, o que faz com que esse tipo de comportamento seja algo irrelevante diante do amor que recebo todo tempo em lives e nas redes sociais”, declara.

Por outro lado, a presença das meninas do Buíque no cenário dos games faz a diferença na vida de muitas pessoas, que têm nelas exemplo e acolhimento. Elas relatam que recebem muitas mensagens de meninos e meninas que passam pelo processo de aceitação da orientação sexual, por processos de depressão e crises familiares, mas encontraram um novo fôlego para seguir em frente.