Um dos artistas mais originais da música brasileira, Arnaldo Antunes acaba de completar 60 anos e o Globoplay celebra o seu aniversário com o documentário musical original “Arnaldo, Sessenta”, disponível na plataforma desde quinta (05).

Tendo como fio condutor uma longa entrevista do cantor ao jornalista Pedro Bial, o documentário conta com 11 apresentações musicais, dois novos poemas, “Saga” e “Um Deus”, e imagens de arquivo, muitas delas inéditas. No depoimento a Pedro Bial, Arnaldo lembra momentos marcantes da sua trajetória, reflete sobre as múltiplas facetas de sua personalidade artística e fala sobre a chegada aos 60 anos em 2020, em meio à quarentena provocada pelo coronavírus.

As canções escolhidas por Arnaldo nesse projeto contemplam diferentes fases de sua longa e rica obra. Dos Titãs (“Comida” e “O que”) ao disco mais recente (“O Real Resiste”, “João” e “De Outra Galáxia”), passando por sucessos da fase solo (“Alegria”, “Socorro”, “Alta Noite” e “Contato Imediato”) e dos Tribalistas (“Passe em Casa” e “Vilarejo”). Os números foram gravados em duas formações: voz e piano, ao lado do pernambucano Vitor Araújo e trio com Betão Aguiar (violão e guitarra) e Curumim (bateria e programações).

“Arnaldo, Sessenta”, filme original Globoplay, é a nova produção do núcleo de documentários da equipe do programa ‘Conversa com Bial’, da Globo. O núcleo foi responsável pela realização da série ‘Em Nome de Deus’, sobre o místico João de Deus, lançada em junho deste ano, também no Globoplay.

“Arnaldo, Sessenta” já está disponível no Globoplay.