O canal A&E irá estrear no dia 21 de setembro, às 23h30, a segunda temporada da série Até Que a Morte Nos Separe. Assassinatos envolvendo um homem, uma mulher e uma história de amor. paixão, ciúme, desconfiança? Em que momento um caso de amor ou um casamento de muitos anos se torna uma ameaça em potencial? Quais os motivos que levam uma pessoa a tramar e a executar friamente seu cônjuge, muitas vezes pai ou mãe de seus filhos? É justamente essa passionalidade o cerne da segunda temporada de Até Que a Morte nos Separe.

- Publicidade -

No episódio inédito, Washington Barros trabalhava com seus pais como palhaço em um circo, quando conheceu Kaísa Helane. Eles se apaixonaram, tiveram uma filha, Raíssa, e ficaram casados por nove anos. Kaísa cursava faculdade de Enfermagem, uma oportunidade que ela teve, segundo Washington, graças a ele; assim como o carro que ele havia comprado: “O dinheiro subiu à cabeça dela”, ele afirma.

Segundo testemunhas, o ciúme e a vida itinerante no circo foram os principais motivos para que Kaísa terminasse o relacionamento com o companheiro. Parecia um fim de relacionamento calmo, até Washington flagrar Kaísa com outra pessoa, em novembro de 2010, quando ele passava por um posto de gasolina na zona sudeste de Teresina e avistou o carro da mulher estacionado e vazio.

Ele resolveu esperar pelo seu retorno. Algum tempo depois, ela desembarcou de outro carro e seguiu em direção ao seu. Washington então pegou a arma que carregava consigo e entrou pelo banco de trás do carro, assustando a ex-mulher. Segundo Washington, ele queria apenas conversar, mas ela começou a gritar por socorro e tentou tirar a arma da mão dele quando a arma disparou acidentalmente. O tiro acertou o tórax de Kaísa, que morreu na hora. Um policial que estava em um posto próximo foi acionado. Ele tentou impedir, sem sucesso, a fuga de Washington.

- Publicidade -