Experimentos sociais, com foco em relacionamentos amorosos, como Casamento à Primeira Vista, Sobrevivendo ao Casamento e Confinados para Amar, estão presentes na grade do canal A&E. Seguindo essa mesma linha, o reality norte-americano Vizinhos com Benefícios chega à tela do canal, no dia 13 de novembro, às 23h, com uma proposta provocativa. O programa traz à tona uma subcultura controversa, embora seja mais atual e popular do que se pensa: casais que praticam swing (troca de casais) – e, nesse caso, eles vivem na mesma vizinhança.

Hoje em dia, nos Estados Unidos, as pessoas são mais honestas e estão mais dispostas a falar sobre as práticas utilizadas para manter seus casamentos vivos e mais fortes. E Vizinhos com Benefícios acompanha o dia a dia de casais que, além de compartilharem as mesmas festas de swing, ainda moram no mesmo bairro. Pessoas comuns, mães e pais, que são vizinhos na vida real e mantém casamentos liberais, dentro de rígidas regras e códigos de conduta dessa prática.

A série mostra o estilo de vida e as complicações que acontecem quando as vidas desses vizinhos acabam interligadas. Cada episódio, de uma hora de duração, aborda mais revelações sobre esse estilo de vida e o que acontece do outro lado da cerca, seja com os casais praticantes ou com os vizinhos que são contrários ao swing. O objetivo é apresentar as diversas emoções e reações humanas como amor, prazer, ciúme, discussões, inseguranças e envolvimentos fora do casamento.

O episódio de estreia, Bem-vindos à vizinhança, apresenta o casal Tony e Diana, que está empenhado em abordar novos vizinhos para adotar seu estilo de vida, convidando-os para um churrasco em sua casa. Porém, ao conversarem com Mark – que é totalmente contra a esse estilo de vida –, ele tenta impedir que novatos se juntem à turma. Lori e Eric ficam nervosos para um encontro com um novo e sexy casal. Enquanto isso, como os praticantes irão lidar com as mensagens que a mulher de Cody, Brittany, tem enviado para o marido de outra? Ela transgrediu o código de ética dos praticantes de swing, será que foi voluntário?