A novela "A Regra do Jogo" está no ar há menos de um mês, mas o suficiente para chamar a atenção dos diretores para uma crise na audiência na trama das 21h. Inicialmente, a novela era considerada a aposta para recuperar o público que deixou a emissora com "Babilônia".

Longe da expectativa, o drama tem perdido a liderança em diversas capitais brasileiras, chegando a ficar empatado tecnicamente com a narrativa da Record em diversos dias. Por conta desta crise na audiência, o diretor de Dramaturgia diária, Silvio de Abreu, decidiu reorganizar a ordem das próximas novelas a serem exibidas no horário.

"Desde que comecei esse novo trabalho, um dos meus objetivos é gerar um portfólio amplo de histórias. Tenho hoje cerca de 15 novelas sendo escritas. Isso facilita muito o planejamento de exibição. Posso ajustar temas e horários com muito mais flexibilidade, de acordo com o que for mais adequado para a grade", conta Silvio.

Uma trama de Maria Adelaide Amaral seria a substituta de "A Regra do Jogo", mas a emissora optou por adiar sua estreia e no lugar lançar outra produção. "A novela da Maria Adelaide é muito boa e traz uma trama política que poderia ficar prejudicada por causa das eleições do ano que vem. Como o Brasil tem uma legislação eleitoral muito rígida, a partir do início de junho teríamos que eliminar essa trama da novela, porque entraríamos no período em que não se pode falar de política. Achei que seria um desperdício fazermos isso. Como temos tantas alternativas em pré-produção, decidi adiar a estreia da Adelaide para depois do período eleitoral e colocar outra novela em março. Estou estudando algumas possibilidades e devo decidir a substituição na semana que vem", conta o executivo.

Uma das possibilidades apontadas pelo mercado é que uma produção realizada sobre o Rio São Francisco, o Velho Chico, seja a nova novela das 21h. Inicialmente, a trama estava prevista para o horário das 18h, mas deve ganhar o horário nobre da Globo.