A novela "Roque Santeiro" foi um dos maiores fenômenos da televisão brasileira. A novela de Dias Gomes e Aguinaldo Silva é, até hoje, a atração de maior audiência do gênero – em seu último capítulo, 94% dos aparelhos de todo o país estavam ligados na TV Globo. A jornalista e cineasta Lúcia Abreu conta os detalhes dessa história fundamental da mídia nacional, em entrevistas com atores, atrizes, diretores e diversos membros da equipe responsável por transformar essa narrativa em uma atração memorável no documentário "A Arte de Interpretar – A Saga da Novela Roque Santeiro" que estreia no Canal Brasil.

"Roque Santeiro" foi ar uma década depois de prevista devido à censura imposta pelo regime militar em 1975. A atração foi resgatada apenas em 1985 por José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, diretor da TV Globo à época. Lima Duarte, intérprete do inesquecível Sinhozinho Malta, lembra da decepção causada pelo adiamento da veiculação da trama, e conta a curiosa história sobre a desistência de Betty Faria e a entrada de Regina Duarte como Viúva Porcina.

Cada detalhe dessa grande produção é lembrado por quem fez parte do sucesso da trama, como José Wilker, Regina Duarte, Aguinaldo Silva, Betty Faria, Marcos Paulo, Boni, Paulo Ubiratan e Eduardo Figueira, entre outros. Em meio aos depoimentos, a produção recupera cenas inesquecíveis da novela, entre elas, o ápice da trama, quando Porcina foi obrigada a escolher entre Roque Santeiro (José Wilker) e Sinhozinho Malta.

"A Arte de Interpretar – A Saga da Novela Roque Santeiro" estreia dia 21 de janeiro, às 22h no Canal Brasil.