A casa do BBB16 recebeu quatro novos habitantes na noite desta quinta-feira. Matheus, Fernanda, William e Geralda disputam duas vagas extras no reality. O público vai escolher dois novos brothers, um homem e uma mulher, que se juntarão aos outros 12 participantes na disputa pelo prêmio de 1,5 milhão de reais. Mas, por enquanto, a presença deles na casa é desconhecida pelos demais. Eles ficarão isolados no segundo andar. Bial deu as boas-vindas aos recém-chegados e abriu a votação. O resultado vai ser anunciado no domingo.

Conheça os novos participantes

Geralda

“Estou passando pela idade e não a idade por mim”, diz a professora aposentada de 63 anos. Fã de Roberto Carlos, ela conta que não tem dificuldade em lidar com pessoas mais novas e adora uma farra: “Passeio bastante, faço pilates, mas o que mais gosto de fazer é jogar buraco. Eu me amo, me acho linda, amo tudo e todos”. Nascida em Curvelo, no interior de Minas Gerais, teve uma infância difícil e precisou ajudar os pais a cuidar dos dez irmãos. Teve apenas um companheiro na vida, o marido que morreu há dois anos, com quem foi casada durante quatro décadas.

William

“Cheguei, nave-mãe!”, avisou William quando entrou na casa. Com quase dois metros de altura, o paulistano de 35 anos trabalha como segurança em um restaurante. Separado da mulher, construiu um “puxadinho” para poder ficar perto das filhas, “suas maiores riquezas”, como ele diz. Alegre e espontâneo, se irrita com pessoas “metidas e arrogantes”. “Gentileza não demonstra fraqueza. Mas se fechar o tempo, dou um mata leão e ponho pra fora”, afirma.

Fernanda

Aos 28 anos, Fernanda é modelo, atriz, escritora e estudante de filosofia. A mineira de Belo Horizonte gosta de viver aventuras e já passou quatro meses em uma cidade no sul da Bahia trabalhando como garçonete, sem celular e internet, isolada do resto do mundo. “Quando estou no desconforto, faço coisas que eu nem imagino, me viro de acordo com a situação”. A loura considera a sinceridade sua maior qualidade e, ao mesmo tempo, seu maior defeito.

Matheus

O engenheiro eletricista de 25 anos sabe desde cedo o que é se virar por conta própria: “Tenho muita coragem e disposição pra me jogar”. Nascido e criado em Barra Longa (MG), região afetada pelo recente desastre ambiental em Mariana, saiu de casa aos 16 anos para fazer faculdade em São João Del Rey. Morou em Sydney, na Austrália, e no estado americano do Texas. Atualmente, divide uma casa com cinco pessoas em Macaé, no norte fluminense (RJ).