Depois de apresentar sessão com filmes iranianos, a TV Brasil exibe cinco produções africanas de segunda a sexta-feira, sempre à 1h da manhã, a partir de 18 de abril. No Ciclo de Cinema Africano, a emissora reúne longas sobre países como Angola, Senegal, Nigéria e Moçambique.

No início da nova faixa, na madrugada desta segunda (18) para terça (19), à 1h, o documentário “Calypso Rose” homenageia a diva caribenha que dá título ao documentário. Para realizar a obra, a cineasta franco-camaronesa Pascale Óbolo acompanhou a cantora em uma jornada de quatro anos que percorreu Paris, Nova Iorque, Trinidad, Tobago e África.

A programação do Ciclo de Cinema Africano contempla dramas e documentários. A segunda atração da faixa, da terça (19) para quarta (20), no mesmo horário, é o longa “O Preço do Perdão”, de Senegal. Inspirado no romance homônimo do escritor Mbissane Ngom, o drama busca respeitar a tradição da cultura oral africana. O cineasta senegalês Mansour Sora Wade narra a trama sobre um espesso nevoeiro que cobre uma vila da costa sul do país.

O premiado filme “Virgem Margarida”, de Moçambique, é a atração de quarta (20) para quinta (21), à 1h. O drama aborda o triste destino de uma jovem camponesa que foi confundida com uma prostituta por engano.

O documentário angolano “Eu amo Kuduro, de Angola para o mundo” é o quarto longa a ser exibido na sessão, de quinta (21) para sexta (22), à 1h. O realizador português Mário Patrocinio desvenda a expansão do gênero musical a partir do advento da internet. A produção resgata outros ritmos criados em diversos países que passaram a ser reconhecidos numa mesma cena global.

Os desafios na vida de um ex-lutador de Serra Leoa acusado de assassinar os pais dão o tom do drama nigeriano “Ezra”. A película vai ao ar de sexta (22) para sábado (23), à 1h, para encerrar o Ciclo de Cinema Africano da TV Brasil.