Nesta terça-feira, dia 2, o ‘Profissão Repórter’ estreia sua 5ª temporada mostrando o dia a dia dos moradores que formam as 13 favelas do Complexo do Alemão. Durante uma semana, Caco Barcellos andou pelas ruas da comunidade para verificar como está a vida dos 70 mil moradores, dois anos e cinco meses depois da operação do exército que acabou com o domínio do tráfico. “Um lugar que ficou isolado durante 20 anos e tem ainda aspectos desconhecidos do grande público”, explica Caco Barcellos.

- Publicidade -

Com coleta de lixo feita em apenas quatro ruas, por onde caminhões conseguem passar, os moradores das vielas precisam carregar tudo nas mãos: compras, móveis, eletrodomésticos. A luz é outro problema, os ‘gatos’ foram substituídos por ligações regulares em 40% das casas, mas os moradores se queixam do valor das contas. A reportagem também revela índices de violência surpreendentes: nenhum roubo de carro e apenas um homicídio no último ano na favela de Nova Brasília, uma das 13 do complexo.

Nesta temporada, a repórter Paula Akemi será a base do ‘Profissão Repórter’ no Rio de Janeiro. No primeiro programa, a jornalista mostra o comércio no Alemão. Em um quarteirão surgiram quatro consultórios dentários nos últimos dois anos. Em outro bloco, há 15 salões de beleza. O maior movimento é depois das cinco da tarde, quando os moradores voltam do trabalho. Paula acompanha também um grupo de turistas ingleses que passeia pelo Alemão. Entre os pontos turísticos: a casa da moradora que foi abraçada pelo príncipe inglês Harry, e a vista da laje de onde é gravada a novela ‘Salve Jorge’.

Outra novidade para a temporada é a chegada da repórter Tarima Nistal, que passa a integrar a equipe. Em sua primeira reportagem ela é acompanhada pelo repórter cinematográfico Daniel Paranayba. O desafio da dupla é entrar na casa dos moradores e mostrar a vida das famílias nas suas funções cotidianas como pegar água na vizinhança.

- Publicidade -