Olá, internautas

- Publicidade -

Nesta sexta-feira (19/03), a TV Globo encerrou a edição especial de “Haja Coração”. A emissora colheu satisfatórios índices de audiência para uma novela já exibida na mesma faixa há pouco mais de quatro anos. Porém, a adaptação de Daniel Ortiz não ganhou expressiva repercussão, o que ocorreu com a reprise de “Totalmente Demais”. Foi uma escolha questionável. Teria sido melhor a escalação de “Ti Ti Ti” que será jogada na faixa das 17 horas.

Aproveitamos as reprises para resgatar o nosso arquivo de textos publicados no antigo espaço do UOL Blogs.  Portanto, republico o balanço final com os pontos positivos e negativos.

________________

Positivo e negativo: Histórias paralelas salvam “Haja Coração”

Olá, internautas

Nesta semana, chegou ao fim “Haja Coração”. A trama conseguiu manter o patamar de audiência alcançado pela antecessora “Totalmente Demais”. Sem a mesma repercussão, mas cumpriu a missão no IBOPE dentro do atual momento da TV brasileira.

Porém, em outro ângulo, “Haja Coração” foi muito inferior se comparada à novela “Sassaricando”, trama que serviu de base ao autor Daniel Ortiz. Eu lembro perfeitamente da novela das sete dos anos 80. Foi um estrondoso sucesso. Um marco da teledramaturgia da TV Globo. O elenco de “Sassaricando” também é muito superior. O último momento do último capítulo encontra-se registrado na minha memória. Todos em ritmo do “Sassarico”….Deslumbrante.

A direção escalou Mariana Ximenes para o enorme desafio de interpretar Tancinha. A atriz fez um trabalho correto, mas longe de roubar a cena da produção. E se comparar com Claudia Raia, a situação fica difícil. Na realidade, Monica Iozzi deveria ter encarado essa missão.

Segue o nosso tradicional balanço com os pontos positivos e negativos.

PONTOS POSITIVOS

Sabrina Petraglia (Shirlei) e Marcos Pitombo (Felipe): a história paralela alavancou “Haja Coração”. Os telespectadores ficaram envolvidos com o casal da mocinha pobre deficiente física e o príncipe rico. Sabrina e Pitombo aproveitaram a oportunidade e conduziram a trama. Os coadjuvantes se transformaram em protagonistas. Não é o melhor trabalho do ator na TV. Até mesmo, na atual reprise de “Vidas em Jogo” na Record, Pitombo encontra-se em uma melhor fase. Porém, cumpriu a missão. Sabrina não é a maior destaque de sua geração, mas também seguiu o lema “missão dada, missão cumprida”.

Jayme Matarazzo (Giovanni) e Agatha Moreira (Camila): os dois formaram o segundo casal mais querido do telespectador. Jayme e Agatha sobressaíram na novela das sete. Agatha superou o desafio de encarar as fases distintas de Camila: malévola e boazinha.

Grace Gianoukas (Teodora): a atriz viveu uma ótima fase de sua carreira em “Haja Coração”. Grace foi tão bem que o autor resolveu ressuscitar a personagem ao lado do “bonitão” Epaminondas (Guilherme Chelucci). Hilário!

Cristina Pereira (Safira):  o telespectador matou a saudade com a participação da atriz na novela das sete da TV Globo. Obteve uma ótima parceria com Grace nos embates entre Safira e Teodora pelo “amor” do pescador. Em “Sassaricando”, a atriz mostrou todo o seu talento como Fedora. Atuação brilhante e inesquecível. Bela homenagem do autor ao resgatar Cristina para “Haja Coração”.

João Baldasserini (Beto): oh, Beeetooo! Há muito tempo, o ator merecia mais espaço na teledramaturgia da TV Globo. Conquistou o carinho do telespectador na novela das sete. Daniel Ortiz errou feio no desfecho do personagem. Beto e Tancinha deveriam chegar ao final feliz.

Nando Rodrigues (Henrique): ator que evolui a cada trabalho na TV Globo.  Cumpriu muito bem a sua missão em “Haja Coração”.

PONTOS NEGATIVOS

Malvino Salvador (Apolo): em recentes trabalhos, o ator apostava no feijão com arroz, muitas vezes sem tempero, na interpretação. Não comprometia gravemente a novela. Porém, em “Haja Coração”, o ator viveu o seu pior momento da carreira. Em muitas cenas, Malvino não conseguiu passar a emoção para o personagem. Atuação bem superficial que comprometeu o melhor desenvolvimento do roteiro.  É um dos atores mais sobrevalorizados da Globo. Enquanto isso, por exemplo, Baldasserini ficava escondido. A escalação do elenco é um dos pontos nevrálgicos da emissora.

Tatá Werneck (Fedora): A atriz reforça a falta de versatilidade com o trabalho apresentado em “Haja Coração”. Emenda um trabalho ao outro com nuances de outros personagens. Valdirene continuou viva em Fedora.

José Loreto (Adônis): outro ator sobrevalorizado na TV Globo. Também demonstra falta de versatilidade em sua interpretação. A emissora precisa urgentemente apostar em novos talentos.

Cláudia Jimenez (Lucrécia): a atriz apareceu na novela? Só para saber…..

Falta do espírito de São Paulo: a novela teoricamente foi ambientada em São Paulo, mas o ar paulistano passou longe de “Haja Coração”. Uma das maiores diferenças com a original “Sassaricando”.

Abertura da novela: abertura totalmente sem criatividade. O que a canção entoada por Ivete Sangalo tem a ver com a novela? Poderia ser encaixada em qualquer produção da emissora. Sem identidade com a novela das sete.

Desfecho de Tancinha: erro colossal da Tancinha chegar ao fim com Apolo. Um presente para Malvino que, definitivamente, não merecia.

Fabio Maksymczuk

- Publicidade -