Olá, internautas

Com a eclosão da pandemia do novo Coronavírus, muitos programas da TV brasileira tiveram que se adequar ao momento para atender os padrões de segurança e higienização estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Esse é o caso do “Conversa com Bial”. A atração de Pedro Bial até ganhou impulso dentro do “novo normal”. O programa passou, de fato, a ser uma conversa entre o jornalista e o entrevistado. O talk show ficou mais intimista e agradável para o telespectador.

A temporada 2020, que está sendo reprisada agora pela GloboNews na faixa das 23h45, contou com uma série de boas entrevistas. De suas residências, atores e atrizes, como Tarcisio Meira, Gloria Menezes, Laura Cardoso, Tony Ramos, Liam Duarte, dentre outros, celebraram os 70 anos da TV brasileira. Bial até teve a oportunidade de “conversar” com o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. “Conversa com Bial” viveu o seu melhor momento até aqui.

Já “Altas Horas” foi uma das atrações mais afetadas pela pandemia. Serginho Groisman contava com a participação ativa do auditório que interagia com seus convidados. O público, principalmente de jovens, é a marca principal do programa. Igual a Bial, Serginho teve que comandar a sua atração de seu lar.

Agora, o apresentador retornou ao estúdio do “Altas Horas” na TV Globo. O auditório, igual ao “Caldeirão do Huck”, é virtual.  Há uma mescla entre convidados presenciais e de forma remota. Neste sábado (09/01), por exemplo, Serginho entrevistou, via internet, a atriz Susana Vieira e recebeu, no palco, a dupla Fernando e Sorocaba.

A TV Globo, finalmente, corrigiu a programação e exibe atualmente o “Altas Horas”, após o encerramento da reprise de “A Força do Querer”. O apresentador merecia mais destaque na programação há muitos anos.

“Conversa com Bial” e “Altas Horas” souberam se reinventar para informar e entreter o público.

Fabio Maksymczuk