sesctv No Dia Mundial de Luta contra a AIDS, 01 de dezembro, o SescTV leva ao ar documentários que abordam o vírus HIV. Às 19h (e 16h em Rio Branco), AIDS 30 Anos: As Respostas das ONGs do Mundo, dirigida por Alcione Alves, com produção e concepção da jornalista Roseli Tardelli, discorre sobre as mudanças que vem acontecendo no comportamento das pessoas e nas políticas públicas de saúde a partir do reconhecimento desse vírus há mais de três décadas; e às 22h (e 19h em Rio Branco), Positivas, dirigida por Susanna Lira, apresenta relatos de mulheres de diferentes idades que contraíram o vírus HIV com seus maridos e companheiros.

- Publicidade -

[creditos:53e1ab0cc9]
Divulgação / SescTV [/creditos:53e1ab0cc9]

AIDS 30 Anos: as Respostas das ONGs do Mundo mostra Organizações Não Governamentais que desenvolvem diferentes trabalhos por todo o mundo e tratam de questões como preconceito, falta de informação e de políticas públicas de combate ao contágio do vírus. Com depoimento da cientista francesa Françoise Barré-Sinoussi – ganhadora do prêmio Nobel de Medicina 2008 por descobrir o vírus HIV -, o documentário fala, entre outros assuntos, sobre o encontro entre as ONGs, realizado de dois em dois anos com o objetivo de debater o tema; os países que se encontram em situações vulneráveis ao vírus; e a conscientização sobre a AIDS, destacando seus principais problemas e soluções.

No documentário Positivas, mulheres expõem suas reações ao saberem que eram soropositivas; comentam suas experiências; o que pensam sobre o assunto; a relação com a família; o preconceito sofrido; e o que mudou na vida de cada uma após o diagnóstico. Elas também conversam sobre a dificuldade de conviver com o vírus da AIDS; os efeitos colaterais; a falta de informação; a vulnerabilidade feminina; e o machismo. O documentário contempla ainda a participação delas em movimentos sociais que se dedicam à prevenção e à conscientização da população do perigo do vírus HIV, como o GAPA, na Bahia, e o Grupo Pela Vidda, no Rio de Janeiro.

Positivas recebeu os prêmios de Melhor Documentário do Festival do Rio 2010, pelo voto popular, e Melhor Documentário no Festival de Natal 2010, na Mostra Vidas na Tela. O documentário também foi selecionado nos festivais Mujeres en Foco, na Argentina; no Festival Internacional de Bogotá e Cartagena, na Colômbia; no Festival Internacional do Uruguai; e no Brèsil en Mouvements, na França.

- Publicidade -