O canal de TV por assinatura Discovery Channel exibe neste domingo, dia 1º de agosto, a partir das 21h, a produção original Narcosubmarinos. O documentário traz imagens e depoimentos exclusivos para explicar como submarinos clandestinos redefiniram as rotas das drogas na América Latina.

Em julho de 2008, um semi-submergível de 12 metros de comprimento foi interceptado a 400 km da costa de Oaxaca, no sudeste mexicano, pelas Forças Armadas daquele país. Na embarcação foi encontrado um carregamento de cinco toneladas e meia de cocaína, endereçado a Joaquín "El Chapo" Guzmán, o poderoso líder do cartel de Sinaloa.

O episódio chamou a atenção para a existência de novas rotas de tráfico submersas, exploradas por esses pequenos submarinos construídos de maneira clandestina. Os novos caminhos da droga, o processo de transporte, e a fabricação dessas embarcações serão desvendados com exclusividade pelo canal.

Com uma hora de duração, o documentário explica como os submarinos de autopropulsão são uma das mais poderosas armas existentes no arsenal dos chefões das drogas. Fazem parte da produção vídeos inéditos de interceptações em alto mar e a narração, na primeira pessoa, de personagens como o ex-traficante M. A. Montoya, integrantes das Forças Armadas Colombianas, peritos em tráfico de drogas e funcionários da Agência Antidrogas dos Estados Unidos.

Filmado durante oito meses, o documentário leva os telespectadores à selva colombiana para descobrir os estaleiros clandestinos onde são fabricados esses submarinos, com o uso de materiais básicos e técnica artesanal. Imagens exclusivas ilustram a evolução dos submarinos de autopropulsão, suas rotas de navegação, e os fatores que fazem com que passem despercebidos nos radares.

Criados há aproximadamente 20 anos, e beneficiários diretos de avanços tecnológicos como o GPS e os telefones celulares, esses submarinos clandestinos e de pequeno porte tornaram-se peças-chave da logística dos entorpecentes que saem da América do Sul para o México e os Estados Unidos.

A considerável capacidade de carga, de até 10 toneladas, e sua facilidade de navegar longe das costas e portos sem serem percebidos pelo radar, fizeram com que estes pequenos submarinos se tornassem sucessores dos aviões, contêineres e lanchas de alta velocidade, redefinindo as rotas de tráfico na região.