Em quase 500 páginas, um historiador israelense procurou explicar a história da humanidade. Um sinal do sucesso dessa empreitada é que, hoje, sua obra está traduzida em mais de 30 línguas e segue, desde 2014, entre as mais vendidas em diversos países. Yuval Noah Harari é o autor de ‘Sapiens – Uma Breve História da Humanidade’, trabalho que conquistou a admiração de personalidades como Barack Obama.

Para sua primeira entrevista a uma emissora de televisão brasileira, realizada em sua casa, Pedro Bial viajou até Israel. Professor da Universidade Hebraica de Jerusalém, ele faz afirmações que podem parecer pessimistas, mas sua convicção é capaz de convencer muita gente. Vai ao ar no ‘Conversa com Bial’ de hoje, sexta-feira, dia 21.

Para Harari, a maior religião do mundo, hoje, não está ligada a nenhum deus e seu nome é capitalismo. “O perigo do século XXI é que capitalismo e humanismo, que sempre andaram juntos, vão se separar em diferentes caminhos. Podemos ter mais crescimento econômico, mas vamos perdendo a humanidade”, explica Harari.

No caminho do capitalismo, vem o desenvolvimento de novas tecnologias, como inteligência artificial e a biotecnologia, com suas vantagens e também possíveis consequências negativas para os seres humanos. “A próxima revolução da humanidade será de ‘unwork classes’, pessoas que não podem fazer nada melhor do que a inteligência artificial seria capaz de fazer. Neste momento, a economia passa a não precisar mais dessas pessoas e o governo não se preocuparia com eles também”.

Comentando a entrevista de Harari, no palco da atração, o cientista brasileiro Stevens Rehen explica que o conhecimento e a tecnologia da qual dispomos atualmente são capazes de, realmente, nos levar até esse cenário construído pelo autor. Além disso, avalia como as informações de big data foram importantes para as últimas eleições norte-americanas.