O serviço de vídeo sob demanda Sportflix estava previsto para ser lançado em toda a América Latina no último dia 30 de agosto. Estava! O lançamento "flopou" e por enquanto não há previsão para ser disponibilizado.

Um comunicado no site do serviço informa que "prestes a brindar um serviço pago, a plataforma deve passar por processos necessários para assim oferecer a melhor qualidade de vídeo sob demanda esportivo". Nas redes sociais, as contas do serviço estão inativas.

Assim que as primeiras informações surgiram na internet, o serviço tem sido alvo de desconfianças e acusações de pirataria por propor a oferta de diversos eventos esportivos, entre eles futebol. Isto acendeu o sinal de alerta aos verdadeiros detentores dos direitos destes eventos que de imediato se pronunciaram negando qualquer acordo ou conversas. Entre as empresas que negaram qualquer vínculo estão FOX, Turner, ESPN e Globo, entre outras.

O governo mexicano, através do Instituto Mexicano de Propriedade Intelectual (IMPI), informou nesta semana que inciou um processo para averiguação de denúncia de pirataria. O comunicado divulgado pelo instituto informa que o Sportflix ofereceria programação esportiva cujos direitos pertenceriam a terceiros como Televisa, TV Azteca, ESPN, FOX Sports, Univisión e TNT. O órgão informa ainda que a transmissão destes conteúdos poderiam ferir a legislação local.